Explosão Tricolor banca: grande portal errou o valor do salário do Martinuccio




O conceituado portal GloboEsporte.com publicou agora pela manhã, que o Fluminense paga um salário de US$ 300 mil mensais ao atacante argentino Martinuccio. Este valor informado passa da casa dos R$ 900 mil.

O Explosão Tricolor banca uma informação diferente sobre o assunto: o gringo ganha pouco mais de R$ 300 mil mensais, ou seja, bem longe dos R$ 900 mil informado pelo GloboEsporte.com.

Segue abaixo, a matéria da GloboEsporte.com:

US$ 300 mil mensais: Martinuccio supera Fred como mais bem pago

Quase quatro anos depois, uma badalada contratação do Fluminense se resume a 15 jogos, um gol, dois empréstimos, um retorno e uma conta de US$ 300 mil mensais (R$ 903 mil na cotação desta quarta-feira). São estes os números de Alejandro Martinuccio, meia-atacante argentino de 27 anos que chegou às Laranjeiras em julho de 2011 como um dos destaques da Libertadores daquele ano. Havia sido vice-campeão pelo Peñarol, do Uruguai, e hoje é um reserva sem espaço e que tem salário maior que o de Fred, ídolo, capitão e principal jogador do clube – segundo apurou o GloboEsporte.com, após a renovação de contrato por quatro anos, o camisa 9 recebe pouco menos de R$ 800 mil.

Martinuccio tem contrato com o Fluminense até o dia 18 de julho de 2015. Contratado em 2011, ele pouco atuou, e sua chegada foi sem o apoio da Unimed, antiga patrocinadora, já que Celso Barros, presidente da empresa, era contra o negócio. Mandatário tricolor, Peter Siemsen bancou o negócio, que definitivamente não deu certo. O Tricolor adquiriu 50% dos direitos econômicos do jogador por 600 mil euros (cerca de R$ 1,3 milhão em 2011). Na época, a transação foi polêmica. O Palmeiras alegava ter um pré-contrato assinado pelo atleta, com multa estipulada em R$ 50 milhões em caso de rescisão.

O único gol marcado pelo argentino aconteceu no dia 21 de setembro de 2011, na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, no Engenhão – ele entrou no segundo tempo e fez o terceiro do Tricolor na partida (assista aos lances no vídeo abaixo). A rotina de poucos jogos e problemas físicos se repetiu no Cruzeiro (que detém 25% dos direitos econômicos) a partir de junho de 2012. Quando contratou o argentino, o clube mineiro arcou com 100% do salário. No Coritiba, equipe que defendeu de junho a dezembro de 2014, o meia-atacante também não deu certo. Antes do retorno às Laranjeiras em janeiro de 2015, Martinuccio foi submetido a uma cirurgia por causa de uma inflamação na tíbia (canelite).

Em um primeiro momento, não faria parte do grupo principal, então comandado por Cristóvão Borges, por problemas físicos. Em 25 de março, porém, voltou a treinar com o grupo, já com Ricardo Drubscky à frente do clube. Com as inscrições para o Campeonato Carioca encerradas, só podia treinar. Eliminado do estadual no sábado passado, o Fluminense agora se prepara para a estreia no Brasileiro, em 9 de maio, contra o Joinville, no Maracanã. Tempo para que Ricardo Drubscky avalie Martinuccio e defina se ele será ou não aproveitado até o fim do contrato.

 

Por Explosão Tricolor / Foto: Nelson Perez

 

PUBLICIDADE