Fábio e o iluminado Gravatinha






A vitória sobre o Fortaleza, em plena Arena Castelão lotada, foi obra de ação divina, pois o Fluminense foi dominado o jogo inteiro. O gol marcado logo no início pelo Luiz Henrique pois colocou mais pressão ainda nos donos da casa.

Na lanterna, o Fortaleza ficou com a obrigação redobrada e se jogou ao ataque. Criaram inúmeras chances e exigiram muito do Fábio, que, diga-se de passagem, foi o grande responsável pela santa vitória. É claro que teve a ajuda da eterno Gravatinha, inclusive, ele mandou o Marlon voar para bloquear o chute do Lucas Lima, que tinha endereço certo. No entanto, não dá para deixar passar batido o gol legal do Germán Cano anulado de forma “equivocada” pelo VAR.

Conforme comentei logo após a chegada do Fernando Diniz, a missão não seria nada fácil por diversos motivos. Disputar três competições e jogar de três em três dias com um elenco desequilibrado como o do atual Fluminense é muito complicado. Além de muitos jogadores que estão acima dos 30 anos, o elenco possuí sérias carências, em especial, nas duas laterais. Diante de todo esse contexto, seria injusto exigir uma “revolução” tática imediata do novo comandante.

Mesmo com tantos obstáculos, os resultados estão vindo: quatro vitórias e dois empates. Até aí, ok. Porém, não dá para achar que está lindo e maravilhoso. As atuações nos jogos contra o Unión Santa Fe e Fortaleza foram sofríveis. Na Argentina, a impressão que o time passou é a de que não queria jogar. Já em Fortaleza, o time pelo menos lutou bravamente para segurar a vitória, mas convenhamos: é muito pouco para um clube gigantesco como o Fluminense, inclusive, muito me preocupa que uma parte da torcida realmente ache isso normal. 

Agora é respirar um pouco depois dessa importantíssima vitória e tomar a decisão certa para a sequência. Força máxima contra o Oriente Petrolero para tentar o 6 a 0 ou manda time reserva já pensando no Fla-Flu do próximo domingo? Vale lembrar que além da vitória por seis gols de diferença, será necessário torcer por um empate entre Junior Barranquilla e Unión Santa Fe para avançar às oitavas de final da Copa Sul-Americana.

 Curtinhas:

– O fair play do Moisés, do Fortaleza, foi um golaço. Atitude muito digna!

– Caio Paulista entrou bem.

– O meio de campo com Wellington, André, Nathan e Ganso não me parece a escolha certa. Está faltando mobilidade e intensidade aí…

– Acompanhe o meu último podcast. Clique aqui

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18

– O Explosão Tricolor está em campanha para alcançar a marca de 20 mil inscritos no canal do YouTube. Contamos com o apoio de vocês!  Clique aqui e realize a sua inscrição!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE