Liberação do Engenhão pode ter sido irregular




Amigos Tricolores,

A cada dia os capítulos deste vergonhoso estadual do Rubinho ficam mais escabrosos.

Observem o que está na página do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, publicado ontem no fim da tarde pela Assessoria de Imprensa do Órgão, o que sugere que a estranha e apressada suposta liberação do estádio, com ampliação de sua capacidade, pode ter sido totalmente irregular, uma verdadeira forçação de barra. Lembramos que o estádio e suas imediações continuam em obras, e a segurança do torcedor foi o que menos foi considerado nesta absurda mudança.

Observem que não estamos inventando nada, está lá no site da Justiça Estadual, na primeira página. Se isso vai dar em alguma coisa, até acredito que a esta altura vai ser difícil, o Botafogo já conseguiu que a Federação estranhamente modificasse às pressas o local do jogo. Mas se não se explicar a contento, o clube pode receber uma boa multa, conforme a matéria publicada:

Botafogo terá de provar que Engenhão foi liberado para jogo com Fluminense

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em 17/04/2015 19:23

O juiz Marcello Rubioli, do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos do Tribunal de Justiça do Rio, determinou nesta sexta-feira, dia 17, que o Botafogo apresente, até o horário da segunda partida da semifinal contra o Fluminense, neste sábado, no Engenhão, as autorizações do Corpo de Bombeiros que liberaram o estádio para o jogo com o dobro de sua capacidade. Em caso de descumprimento, o clube terá de pagar multa de R$ 150 mil.

A decisão foi dada depois de um pedido de liminar ajuizado pelo advogado Marcelo Carvalho contra a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e o Botafogo. O autor da ação pedia a transferência da partida para outro local, sob o argumento de que o Estádio Nilton Santos (Engenhão) ainda se encontra em obras, e que sua indicação se deu por divergências políticas entre a Federação e o Fluminense.

Em sua decisão, o juiz diz ser notório o fato de o estádio estar em obras emergenciais para garantir a segurança da estrutura. Apesar disso, há notícia de que, a poucos dias da partida, o Corpo de Bombeiros emitiu novo laudo aumentando a capacidade de público de 17 mil torcedores para quase o dobro.

“É verdade que, sob o pálio da segurança do torcedor, a que se refere a lei 10671/04, a autorização do CBMERJ seria suficiente a habilitar a praça desportiva, como é dotada de presunção de legalidade e fé-pública. Mas, para apurar-se a possibilidade ou não da análise da liminar pleiteada, urge seja intimada a agremiação esportiva a exibir os ditos documentos, bem como o CBMERJ a exibir o laudo de vistoria das ditas”, escreveu o magistrado.

Processo 0004894-53.2015.8.19.0207


Amigos Tricolores,

Definitivamente eu não quero acreditar que a liberação foi feita sem a observância de mínimas condições de segurança. e me recuso também a acreditar que quem libera (com ou sem laudo dos Bombeiros) é a Federação. Mas que a nota da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça me assusta, isso é certo.

Que tudo corra bem!

Por PAULONENSE

Engenhão - gustavo Rotstein
Engenhão: a liberação apressada foi regular? A Justiça quer saber

 

PUBLICIDADE