Mário Bittencourt revela valor da venda do atacante Luiz Henrique




Luiz Henrique (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



Atacante foi vendido por 13 milhões de euros

O Fluminense negociou 85% dos direitos econômicos do atacante Luiz Henrique para o Real Betis, da Espanha, por 13 milhões de euros (cerca de R$ 70 milhões) mais bonificações por metas atingidas. O Tricolor ainda manteve 15% dos diretos do jogador para uma futura venda. A informação foi confirmada pelo presidente do clube das laranjeiras, Mário Bittencourt, em entrevista coletiva concedida na tarde deste domingo (13).

– Tivemos algumas sondagens ao longo desse tempo, mas nada nunca maior do que € 10 milhões de euros. A primeira proposta que chegou foi de € 7 milhões de euros por 100% dos direitos. A gente negou, foi feita uma segunda investida de € 8 milhões de euros também por 100%, também negamos, e acabamos caminhando para fazer uma venda de € 13 milhões de euros por 85% do atleta. Permaneceremos com 15% dos direitos econômicos, não é de mais-valia. Se o atleta for vendido lá, teremos 15% do valor integral da venda. Esses € 13 milhões estão divididos entre valores fixos e bônus, que por questões contratuais prefiro me reservar ao direto de não falar para preservar as questões do clube que está fazendo a aquisição.

– Se imaginar que estamos vendendo 85% por € 13 milhões de euros no valor global, o jogador está sendo avaliado neste momento em € 15 milhões de euros. Óbvio que a conta não é essa porque se ele nunca mais for vendido a gente vendeu por € 13 milhões de euros. Mas se um dia ele for vendido por € 50 milhões de euros, temos mais 15% do valor a receber (€ 7,5 milhões de euros).

– Quando se faz uma venda para clubes de maior poderio financeiro e de disputa de competitividade na Europa, normalmente essas vendas são um pouco mais altas porque não existe revenda. Vou dar exemplo: em 2006 o Fluminense vendeu o Marcelo, a vida inteira teve um percentual de revenda dele, e ele jamais foi vendido pelo Real Madrid. Quando se faz vendas para clubes assim, o percentual que se carrega não se efetiva. Um exemplo contrário: o próprio Fluminense vendeu o Richarlison aqui para o Everton, depois ele foi vendido, e o Flu recebeu valores adicionais. Por isso disse que comparar vendas de jogadores em períodos distintos, por clubes distintos e situações distintas, é uma discussão interminável em toda e qualquer lugar. Temos que ver a situação nossa de momento e quanto o mercado neste momento estava colocando de preço no jogador.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE