Não dá mais!!!




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

Utilize o cupom de desconto do Explosão Tricolor no ato da compra → explosaotricolor



Definitivamente, não dá mais para o Fluminense seguir no Maracanã com as condições vigentes. Infelizmente, a inclusão de aditivos no contrato original inviabilizou financeiramente a utilização do estádio. Vale lembrar que essa é para colocar na conta do ex-presidente Peter Siemsen.

Há quem acredite que a culpa seja da torcedor. No entanto, vale ressaltar que o histórico do Fluminense aponta que casa cheia nunca foi o nosso forte. Na metade dos anos 80, quando dei os meus primeiros passos na arquibancada, meu saudoso pai sempre falava o seguinte: “Nossa torcida só aparece nas finais, só vai na boa. Impressionante!”. Quase trinta e cinco anos depois, o cenário é ainda pior. Recentemente, falávamos que apenas os 15 mil de sempre compareciam. Hoje em dia, nem isso. A estreia na Copa  Sul-Americana, por exemplo, deu apenas 10 mil.

Considerando o atual cenário do clube, a diretoria não pode agravar ainda mais essa calamitosa situação. Ou seja, tem que correr do Maracanã. Pelo menos para os jogos menos badalados. É chato para o sócio e torcedor assíduo? Muito. Só que não dá para fechar o ano com R$ 5 ou 6 milhões de prejuízo no estádio. Não sei como anda a situação do Giulite Coutinho, mas não custa lembrar que o clube gastou mais de R$ 1 milhão em reformas nele. A capacidade é de 10 a 12 mil pessoas. Há algum impedimento?

Além do Giulite Coutinho, seria interessante analisar a situação do estádio da Portuguesa da Ilha do Governador. Também seria válido avaliar a possibilidade de voltar a utilizar o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Já o Nilton Santos não parece ser uma boa alternativa para quem deseja fugir de altos custos.

É muito desagradável ter que admitir isso, mas também não dá para deixar de falar sobre essa triste realidade. Como também não dá para deixar de citar que reformar Laranjeiras e, principalmente, viabilizá-la para jogos é de fundamental importância para o processo de reconstrução do Fluminense. A curto prazo, é a melhor solução. Se conseguir colocá-lo para 15 mil pessoas já estará maravilhoso. Atenderia bem na maioria dos jogos do Campeonato Carioca, primeiras fases da Copa do Brasil e alguns confrontos do Campeonato Brasileiro.

Forte abraço!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE