O Fluminense fica cada vez menor com a Flusócio!




Foto: Fluminense FC



O Fluminense fica cada vez menor com a Flusócio!

E mais uma vez estamos fora da final do carioca. Nada surpreendente se analisarmos os últimos dez anos da competição. De 2009 pra cá o time chegou na final apenas duas vezes, ganhando o campeonato de 2012 diante do Botafogo e perdendo o de 2017 para o Flamengo. Nada mais!

Tá certo que os estaduais estão cada dia mais falidos e a quantidade de datas reservadas para eles indicam que o futebol brasileiro não prioriza a excelência e qualidade do espetáculo, mas sim o clientelismo do “toma-lá-dá-cá” das federações. Contudo, o certame existe e a torcida quer sempre ver o time ganhando, o que não tem sido possível nos últimos tempos.

Olhando o Fluminense da Flusócio não se verifica progresso algum. Pelo contrário, é só retrocesso e a turma do vídeo game pouco fez em mais de oito anos no poder. Episódios com os do rato, elenco de greve, atrasos salariais, funcionário sem dinheiro para pagar o transporte coletivo ou “vaquinha” entre jogadores para pagá-los, Dryworld, Valle Express, estádio fake, falta de alvará municipal no CT e vários outros problemas passaram a fazer parte do dia-a-dia do torcedor.

E essa completa incapacidade de administrar trouxe um cenário ainda mais grave para clubes do porte do Fluminense: o abandono da torcida. O tricolor simplesmente não quer ir ao estádio. Se o nosso torcedor já gosta de um sofá, com essa absoluta ausência de perspectiva é que ele não vai sair de casa mesmo. E isso gera menos sócio torcedor, menos renda, menos participação passiva (porque até a televisão o sujeito não quer ver mais) e, consequentemente, menos dinheiro dos direitos de transmissão. O caos!

Se o Fluminense precisa de dinheiro ele deve investir. Ninguém faz um milhão com um real. E um clube de massa tem que entender que o único meio de alavancar a sua renda e melhorar a sua posição no cenário nacional é a aproximação com o torcedor. Melhores produtos, melhores times, marketing voltado para a paixão, estádio próprio, dentre outras questões, são a solução para sair do fundo do poço que o atual grupo político nos colocou.

É fácil? Claro que não. Mas se não fez em mais oito anos, definitivamente não fará daqui por diante. Por isso a importância da saída da Flusócio. E que nunca mais volte!

Não tenho dúvidas de que o processo de diminuição pelo qual passa o nosso Tricolor só tende a piorar se Pedro Abad e sua turma permanecerem no clube. É questão de sobrevivência a saída deles. Ainda que façam tudo certo daqui pra frente, a torcida já não aguenta mais tanta incompetência, tanto desprezo com as nossas cores e tanto apego ao cargo sem produzir nada de útil.

“Pra arrumar tem que bagunçar” diz o ditado popular. E isso se aplica diretamente ao Fluminense atual. Mesmo que a antecipação das eleições acarrete toda sorte de dificuldades e até mesmo um eventual rebaixamento no Brasileiro, é fato que a esperança renasce a partir do momento que a Flusócio não esteja mais no poder.

“Mas nada vai mudar; vários candidatos anunciados já passaram pelo clube e nada fizeram” poderão dizer alguns. Concordo. Mas assim como um técnico de futebol passa três, quatro vezes por um mesmo time até ganhar algo, acredito que a mudança da presidência injetará ânimo novo na torcida, o que poderá trazer investimentos e nos alçar ao patamar de grande novamente. Sim, porque atualmente ninguém acredita que o Fluminense entra em um campeonato pra vencer, e isso é ser pequeno. Gostemos ou não, este é o nível que a Flusócio nos colocou.

Confesso que não estou acompanhando os bastidores das eleições. E nem quero! Prefiro deixar os arranjos acontecerem para, no momento certo, elogiar ou criticar a atitude de um ou de outro candidato. Quero me manter de coração aberto para ouvir propostas e acreditar num futuro melhor, longe das decisões perniciosas e devastadoras que hoje assolam as Laranjeiras.

Enfim, o próprio conceito de associação nos remete a algo que não tem dono, e os oito anos no poder do grupo do atual mandatário tricolor já mostrou que chega! Não dá mais! Vida nova é o que todos queremos e, se para isso, o melhor for antecipar as eleições, que assim seja!

Nada de bom vai acontecer com Pedro Abad ocupando a cadeira maior do Fluminense. E isso tem que mudar urgentemente.

Ser Fluminense acima de tudo!

Evandro Ventura



PUBLICIDADE