Paralelo entre Brasileirão e Sul-Americana, relação com a torcida, disputa por posição no ataque e muito mais; confira a coletiva de Fernando Diniz






Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva após a classificação do Fluminense para as quartas de final da Copa Sul-Americana

Após a vitória do Fluminense por 3 a 1 sobre o Peñarol, na noite desta terça-feira (30), pela Copa Sul-Americana, o técnico Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva no Maracanã. Confira abaixo as respostas do treinador:

Vitória sobre o Peñarol 

Fernando Diniz: Uma das boas partidas que fizemos no ano. Foram três gols muito bonitos, presente para o torcedor que veio, que estava precisando de uma vitória como essa para dar ânimo a mais para conseguirmos uma recuperação no Brasileiro. Nos preparamos muito para enfrentá-los. Assistimos muitos jogos deles para a primeira partida, depois esmiuçamos muito o que eles fizeram no jogo de ida. A equipe estava muito bem preparada para neutralizar os pontos fortes e conseguimos na maior parte do jogo neutralizar e quando foi possível impomos nosso jogo. Soubemos variar hoje, subir a marcação, descer a marcação, sair com bola longa, iniciar com construção mais curta. O gol no começo já trouxe confiança, incendiou o torcedor.

Próximo adversário na Sul-Americana

Fernando Diniz: O Corinthians tem chance de passar, fez o resultado em casa, mas no futebol tudo pode acontecer. Jogar lá no Uruguai sempre é difícil. Temos que estar preparados para qualquer um dos adversários.

Relação com a torcida do Fluminense 

Fernando Diniz: O comportamento do torcedor é muito normal. Meu sentimento com a torcida do Fluminense é de gratidão. Se caso eles me vaiem no próximo jogo ou no outro jogo… Torcedor quer o time na ponta da tabela, não na zona de rebaixamento. Isso é totalmente compreensível. Essa discussão de jogar bem e ganhar, jogar mal e ganhar… Você vai formando o senso crítico do torcedor. Mas a torcida do Fluminense como um todo meu sentimento é de gratidão. E vou fazer meu melhor todos os dias para ajudar o Fluminense nesse momento que estou aqui.

Bom público no Maracanã

Fernando Diniz: O fator muito importante hoje foi a presença do público. Mostra que acredita nos jogadores, respeita o trabalho. A torcida do Fluminense merece que a gente consiga mais vitórias no Brasileiro, para poder ter alegria e um pouco de alívio.

Paralelo entre Brasileirão e Sul-Americana

“Se formos traçar um paralelo entre Brasileiro e Sul-Americana, cairemos na questão do resultado. E é uma armadilha que eu não costumo cair. Precisamos ganhar jogos no Brasileiro jogando bem. Hoje o time jogou bem e ganhou. Existe uma certa distorção nos comentários. São muito previsíveis os comentários quando se perde e quando se ganha. Os narradores falam uma coisa e invertem tudo com o sabor do resultado. Essa sinfonia para o futebol não é boa. Hoje eu gostaria que tivessem críticas para o Fluminense porque erramos também. Como o Santos, que está na ponta da tabela e tem o que melhorar. Um olhar mais técnico sobre o que acontece. Porque senão ficamos reféns dos resultados. Se deu resultado está bom, se não deu, está ruim. Todo mundo sabe que precisa ter resultado porque no fim do campeonato tem o campeão, os classificados, os rebaixados. Mas ficarmos nessa só de resultado… Temos que pontuar no Brasileiro. Mas a equipe tem jogado bem. Hoje jogou bem, e talvez tenha provado que não precisa jogar “mal” para ganhar jogo. É muito mais difícil ganhar jogando mal. Quando tentamos fazer com que o time jogue bem, tenha personalidade, que os jogadores evoluam, que consigamos lançar jogadores jovens, recuperar os jogadores, isso tudo faz parte do processo de trabalho, que é sempre enaltecido internamente. Agora vamos atrás dos pontos que precisamos no Brasileiro. Procurando jogar bem e vencer as partidas” – Fernando Diniz.

Disputa por posição no ataque

Fernando Diniz: Jogam os melhores. Temos a semana para preparar. O time jogou bem. É bom ganhar opções. Nenê é um jogador de muita qualidade, já queria que tivesse chegado no começo do ano – quase veio. E o Nem é um jogador formado na casa, identificado com o clube, que viveu um grande momento aqui e esperamos que ele consiga reviver esse momento. Esse leque de opções vai melhorando a condição do time. Precisamos de elenco para fazer trocas, para podermos poupar um ou outro jogador em determinados jogos. Isso aí enriquece muito o time. Estou muito feliz com a chegada dos dois.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor / Fonte: Globo Esporte

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE