Preparador físico, fisioterapeuta, médico, nutricionista e psicóloga detalham instruções dadas aos jogadores do Fluminense




Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.



Nesta terça-feira, o Fluminense informou que formulou algumas instruções para seus atletas que estão em casa como medida de se manterem saudáveis e ativos durante o período de recolhimento por conta da pandemia do coronavírus.

Os jogadores receberam exemplos de exercícios que podem ser executados em casa, orientações nutricionais de recesso para manutenção da composição corporal e da imunidade, e as recomendações para evitar o contágio.

Aqueles que estavam em tratamento fisioterápico puderam levar equipamentos para casa e dar continuidade às atividades com auxílio remoto dos profissionais do clube.

A preparação física e a fisiologia disponibilizaram séries diárias de exercícios físicos que podem ser feitos em casa e se mantém à disposição dos atletas para consultas remotas, por telefone ou vídeo chamadas, caso seja necessário tirar dúvidas, acertar posturas e afins.

O Fluminense paralisou suas atividades em todas as sedes do clube: Laranjeiras, Xerém e o Centro de Treinamento Carlos Castilho.

Veja as explicações dos profissionais do clube:

Marcos Seixas (preparador físico)

“Em função desse problema, estamos encaminhando treinamentos para serem realizados em casa que visam uma manutenção da forma física e desportiva pra que não tenhamos déficit do condicionamento adquirido. Procuramos montar exercícios que podem ser feitos nessas condições. As dúvidas podem ser sanadas com facilidade através da tecnologia atual. É uma atitude muito importante, já que não temos ainda nenhuma previsão conclusiva de retorno”.

Renata Faro (nutricionista)

“Temos duas maiores preocupações nutricionais. Uma com os valores da composição corporal dos atletas e outra com bom funcionamento do sistema imunológico dos atletas. Então, nada melhor do que informar que tipos de alimentos são benéficos e quais não são. Além de tempo de intervalo entre refeições bom como fontes de vitaminas essenciais”.

Nilton Petroni (fisioterapeuta)

“Miguel, Gilberto e Frazan levaram para casa alguns equipamentos de drenagens e eletroestimulação, além de aparelhos para analgesia. Eles receberam orientações específicas para cada caso e podem entrar em contato em caso de dúvida. E nós vamos fazendo a ronda, pelo telefone, para acompanhar o andamento”.

Douglas Santos (médico)

“Explicamos os comportamentos básicos de se evitar a propagação de um vírus, além de reforçar a ideia de ficar em casa. As mesmas orientações de manter as mãos higienizadas, lavando com água e sabão ou utilizar álcool gel 70%; evitar aglomerações como festas, praias, reuniões, aeroportos, shoppings, supermercados, restaurantes e visitas a familiares. Só sair de casa se houver extrema necessidade; e evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal. Caso algum atleta ou funcionário apresente sintomas como febre, tosse, dor de cabeça e falta de ar, esses deverão informar ao Departamento Médico do Clube imediatamente”.

Emily Gonçalves (psicóloga)

“Ficar muito focado em um assunto que pode gerar muita preocupação pode ser causa de ansiedade, principalmente para atletas que estão longe de seus familiares. Então recomendamos algumas coisas em relação a isso, de se informarem, mas não ficarem impregnados pelo assunto, assim como pela distância do trabalho. Fazer coisas que gostam também é uma recomendação, mas, nesse caso, atividades que não desobedeçam a cartilha de saúde”.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE