Sequência ruim de resultados, titularidade, ineficiência ofensiva e muito mais: leia a entrevista coletiva de Michel Araújo




Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.



Uruguaio concedeu entrevista coletiva após o treino da manhã desta sexta-feira

No início da tarde desta sexta-feira (14), o meia Michel Araújo concedeu entrevista coletiva no CT Carlos José Castilho. O uruguaio falou sobre a sequência ruim de resultados, titularidade, tabela complicada, ineficiência ofensiva da equipe, meta individual e muito mais. Confira abaixo todas as respostas do jogador:

Sequência ruim de resultados

“A gente já enfrentou times que têm aspirações ao campeonato, times que sempre saem na frente. Fizemos um bom jogo contra o Grêmio, com o Palmeiras também, que vem de ganhar o Estadual. E agora com o Inter, são três jogos muito difíceis para começo do campeonato. Mas acredito muito nesse time, temos muitos jogadores bons. Acho importante a força do grupo, a gente está com moral, e acredito que nós vamos sair (dessa fase) para frente.”

Titularidade

“Sinto que já estou preparado para jogar no time titular. No jogo anterior me senti muito cômodo, principalmente no segundo tempo, quando o time precisava de gana para correr, para marcar. No Uruguai fui criticado algumas vezes por não marcar muito, então fiquei me esforçando mais para marcar, ajudar mais o time. E agora na posição que tiver que jogar aqui vou jogar. Sou meia, como já falei, mas se tenho que jogar como 5, por fora, de centroavante… Não tem problema nenhum.”

Tabela complicada

“O começo de campeonato está muito difícil, todos os jogos são difíceis quando se joga muito. Agora domingo esperamos que seja o nosso jogo, que a equipe possa ficar com a bola, progredir no campo, chegar à frente, manter a bola no ataque. Temos que treinar a posse e manter o padrão de jogo para poder ganhar.”

Ineficiência ofensiva

“A gente tem que ficar mais com a bola, fazer ela chegar mais no Evanilson, que é o nosso centroavante hoje. A gente está criando pouca situação de gol na frente, precisamos ficar mais com a bola no campo do rival. Assim vai conseguir chegar ao gol rapidamente.”

Jogos em meio à pandemia 

“Isso que está acontecendo no mundo é uma anomalia. A gente tem família, amigos que estão vivendo isso. Penso que seria melhor não jogar, não? Só aqui no Brasil tem que jogar, viajar… Tem contato com muitas pessoas que não fazem exame no aeroporto, hotel… Mas temos que fazer de tudo para ficarmos focados no campo, tirar isso da cabeça e concentrar no jogo.”

Bola parada ofensiva

“A gente tem que acreditar mais na bola parada, caprichar na pegada. Hoje sai muito gol assim, e temos jogadores que são altos, vão bem por cima. Vamos conseguir fazer trabalhando mais essa bola parada ali.”

Meta individual

“A estreia no Brasileirão foi algo que esperei por muito tempo. Essa minha estreia como titular foi um momento muito importante, desfrutei muito desse jogo. Agora, para frente, seria bonito seguir jogando, ajudar o time. Levar o Fluminense, que confiou em mim, o mais alto possível. É a principal meta que tenho na cabeça.”

Diferenças entre o futebol brasileiro e o uruguaio

“Tem muita diferença no ritmo de jogo. No Uruguai conseguia pegar mais a bola e não a perdia tanto como aqui, que é muito mais rápido, tem mais marcação, o tempo todo estão cortando o jogo. A diferença principal é essa.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor 

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE