Sinal de esperança




Fred (Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC)



Grande vitória, grande mesmo. Vitória de um time que teve tudo para liquidar a fatura já nos primeiros quarenta e cinco minutos. Inclusive, não seria exagero algum afirmar que o Fluminense poderia ter ido para o intervalo com um 3 a 0 no placar. Sendo assim, o placar de 1 a 0, com um golaço do Dodi, ficou barato para os vascaínos.

O Vasco adiantou a marcação no período de 15 a 30 minutos. De certa forma, dificultou um pouco a saída de bola e, consequentemente, a transição do Flu. Porém, o sistema defensivo tricolor deu conta no recado. Mais uma grande atuação do Luccas Claro. E o Nino também mandou muito bem. Entretanto, Yuri foi outro que se destacou. Além de se posicionar bem à frente da zaga, ele apareceu bem como elemento surpresa lá na frente em algumas ocasiões.

No segundo tempo, o jogo ficou bem amarrado só esquentando mesmo nos quinze minutos finais. E aí, o tal do destino apareceu… Contra-ataque, Ganso rolou a bola no ponto e o Fred ‘FLUzilou’ o goleiro Fernando Miguel. Golaço, que certamente emocionou muitos tricolores. Um gol para lavar a alma do Fred e de toda a massa pó de arroz. Logo depois, o Flu levou mais um gol por conta de falhas individuais, mas que não foi o suficiente para impedir a vitória.

Resultado justo, placar injusto. Era para ter sido de muito mais. Não poderia deixar de mencionar o Odair Hellmann. Sim, sempre fui um crítico ferrenho do trabalho dele. Porém, desde que ele passou a fazer o simples, a coisa começou a andar.

No jogo anterior, cheguei a comentar que a parte da marcação havia apresentado uma evolução. Já no clássico contra o Vasco, a evolução apareceu na parte ofensiva. O time construiu boas jogadas pelos lados de campo e trocou passes com muita segurança. Rolaram até triangulações. E isso merece ser bastante destacado, pois o ponto forte do Vasco é justamente a forte marcação acompanhado de sistema defensivo bem encaixado.

É prematuro projetar algo, mas é bom ter a chama da esperança acesa novamente. A rapaziada honrou bonito as três cores que traduzem tradição.

Curtinhas

– Mais uma grande atuação do Calegari. Teve trabalho com o bom Talles Magno, mas deu conta do recado.

– E o Michel Araújo, hein? Joga muito!

– Nenê não foi bem. Prendeu a bola em diversos momentos.

– A atuação do Hudson foi terrível. Não acertou nada e ainda cometeu muitas faltas nas proximidades da área.

– Segue a live pós-jogo. A resenha foi boa! Clique aqui e realize a sua inscrição no nosso canal do YouTube!

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE