Tiro no pé






Difícil digerir mais uma derrota em clássico. Falando com clareza, é uma “M”! Mais uma vez, o Fluminense dominou amplamente um rival local nesta temporada, mas não conseguiu estufar a rede dos caras.

Desta vez, o Fernando Diniz surpreendeu na escalação. Meio de campo com Allan, Daniel e Ganso foi algo pra lá de ousado. E pelo que a equipe apresentou, dá para dizer que o treinador fez tudo certo. O Fluminense mandou e desmandou no jogo durante os noventa minutos.

Assim como na épica vitória sobre o Grêmio, Daniel mandou muito bem. Ele deu grande mobilidade ao time, foi bem na distribuição e fez o jogo acelerar. Fica a torcida para que o garoto engrene de vez.

No outro lado, o Botafogo estava morto, praticamente não incomodava, mas… pois é, no final das contas, futebol é bola na rede. Bastou o Fluminense dar um mole para os alvinegros abrirem o marcador e, consequentemente, decidirem a partida.

A rapaziada do Diniz jogou o fino, mas pecou bastante na última bola. Destaque negativo para o Luciano, que abusou de ser fominha. Quando é que ele aprenderá que futebol é um jogo coletivo? Essa postura egoísta prejudicou bastante o Fluminense.

Não entrarei na discussão se a derrota foi injusta ou não. Perda de tempo. Quero saber é o que a comissão técnica tem feito para melhorar a finalização da equipe? Os caras envolvem a maioria dos adversários, criam inúmeras chances, mas possuem uma dificuldade enorme de fazer gol. Com o Pedro, parte desse problema até deve ser solucionado, mas não dá para ficar na dependência de apenas um jogador.

Na saída do estádio, vi alguns tricolores pedindo a cabeça do Diniz. Acredito que uma parte estava de cabeça quente. De qualquer forma, sou contra essa caça às bruxas que tentam promover contra o treinador. O conceito de jogo do Fluminense tem evoluído. A tendência é a de que melhore cada vez mais. O grande problema tem sido a falta de poder de decisão lá na frente.  

É claro que a cobrança por vitória tem que existir, mas pedir a cabeça do Fernando Diniz é tiro no pé. Pelo menos é assim que penso. Duvido muito que algum outro treinador consiga fazer esse time render melhor. Apesar de estar p… da vida, sigo acreditando na proposta dele.

Quarta-feira que vem tem mais. E estarei lá novamente.

Forte abraço!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE