Agora o bicho vai pegar. O Fluminense está preparado?




Devolvam a minha vontade de torcer (Foto: Vinicius Viana / Explosão Tricolor)
A torcida terá que jogar junto com o Fluminense! (Foto: Vinicius Viana / Explosão Tricolor)
A torcida terá que jogar junto com o Fluminense! (Foto: Vinicius Viana / Explosão Tricolor)

Estou gostando de ver a movimentação da torcida tricolor nos últimos dias. Muitos tricolores estão se mobilizando para divulgar a importância de chegar junto no Maracanã, na estreia do Fluminense no Brasileirão. E é assim que tem que ser. A rapaziada tem que apoiar e jogar junto com o time. Diante das circunstâncias, digo com a maior certeza do mundo: precisaremos de uma arquibancada bastante forte e unida.

Não adianta mais chorar o leite derramado. O elenco é esse aí e ponto final. Talvez ganhe mais uns dois ou três reforços. Um deles pode ser um atacante veterano de quase 40 anos de idade, o Magno Alves. Se considerarmos que o Pierre tem 33, e o Antonio Carlos está com 31, chegaremos a conclusão de que a Diretoria está contrariando o seu discurso lá de trás, que era o de sempre pensar no futuro. Sendo assim, ela resolveu adotar uma linha imediatista ao contratar tantos jogadores veteranos. O problema é saber se tantos veteranos juntos darão o caldo necessário para jogarmos com dignidade e um mínimo de competitividade. Alguém está disposto a apostar que dará certo? 

Sobre o treinador, no período de treinamentos em Mangaratiba, ele optou por escalar o Fluminense com três volantes. O Pierre ficou mais recuado para que o Jean e o Edson tivessem uma liberdade maior para apoiar. A intenção é boa, pois na teoria, teremos um poder de marcação maior, algo que, na minha visão, faltava ao time, e, consequentemente, acabava estourando na tão criticada defesa. Por falar na defesa, será que o Ricardo Drubscky decretou o fim da maldita linha-burra implantada pelo Cristóvão Borges?  

Vamos ver como funcionará o setor de criação do time. Gerson conseguirá assumir o papel de maestro do time? Tem bola para isso, mas ainda está em fase de oscilação. Este papel caberia ao Wagner, que é bem experiente e teve seu contrato renovado a peso de ouro e pelo longo período de quatro anos. Quando ele deixará de ser moleta do lateral-esquerdo e assumirá a responsabilidade técnica deste time?

Pelas laterais, o Wellington Silva vem se esforçando bastante, mas ainda deixa a desejar na parte defensiva. No apoio, tem mandado bem. No lado-esquerdo, o Giovanni não me convenceu. Jogador de toque para o lado e sem grande poder de infiltração. Para piorar, ainda não temos um reserva para disputar posição. Colocaram o garoto Leonardo (Léo Pelé) para treinar entre os profissionais. É mais uma jovem promessa sendo lançada…

Para o ataque, só temos o Fred e o Kenedy. Lucas Gomes, Marlone (que também é meia) e Marcos Junior não me convenceram. O cenário ficará pior com o afastamento do Kenedy durante sete rodadas (entre a 2ª e a 8ª). A chegada do Magno Alves poderá amenizar o problema, entretanto, resta saber como ficaria a dinâmica do setor com uma dupla formada entre ele e o Fred.  

Vamos ver como o Fluminense se comportará no Brasileirão. Nas seis primeiras rodadas, jogaremos cinco vezes no Maracanã. Confira abaixo:

Fluminense x Joinville – 09/05/2015 – 21h – Maracanã

Atlético/MG x Fluminense – 17/05/2015 – 16h – Mané Garrincha

Fluminense x Corinthians – 24/05/2015 – 16h – Maracanã

Flamengo x Fluminense – 31/05/2015 – 18h30 – Maracanã

Fluminense x Coritiba – 04/06/2015 – 16h – Maracanã

Fluminense x Sport – 07/06/2015 – 19h30 – Maracanã 

Vejo muitos discursos otimistas, mas é bom colocarmos os pés no chão. Pode ser muito bom, mas também pode ser muito ruim. Na estreia, temos totais condições de vencer o Joinville. No duelo da segunda rodada, a coisa ficará mais complicada. Tudo dependerá de como o Atlético/MG estará na Taça Libertadores. Se entrar com time reserva, nossas chances aumentarão, mas também não significa muita coisa. Pela terceira rodada, encararemos o Corinthians. Até lá, saberemos se ele avançou ou não, na Taça Libertadores (acredito que avance, pois enfrentará um adversário fraco). Com o jogo no Maracanã e o adversário estando focado em outra competição, teremos chance de tirar algum proveito. Depois é o Fla x Flu e tudo pode acontecer. Fechando a série das seis primeiras rodadas, pegaremos o Coritiba e o Sport, ambos no Maracanã. Bons jogos para confirmar uma boa sequência ou tentar sair do desespero. Espero que seja a primeira opção!

Finalizando, quero deixar bem claro o seguinte: sempre apoiarei o Fluminense independente de política de clube. Quando a bola rola, as ideologias devem ser deixadas de lado e a torcida tem que ser uma só. A arquibancada terá que estar bastante unida e sem deixar que a política invada “parte dela”. Digo isso, pois quem respira o Fluminense durante 24 horas do dia, já está sabendo que estão ocorrendo algumas movimentações meio esquisitas. Estou de olho nessa parada e se tiver que abrir a boca, abrirei sem dó nem piedade, pois estou de saco cheio de algumas “maquiagens” feitas para o inocente povão. 

“Todos os caminhos levam ao Maracanã. Tricolor, compareça na estreia. Jogue junto e torça até o apito final!”

EXPLOSIVAS DO GUERREIRO:

1 – Nunca parei para ficar analisando os números da atual gestão. Passei a fazer isso recentemente, pois a Diretoria sempre deu o discurso de que estava reduzindo as dívidas. Para minha surpresa, desde que a atual administração assumiu o clube, no ano de 2011, a dívida aumentou de R$ 404,9 milhões para R$ 439,6 milhões (valor final de 2014).

2 – São pequenas informações como esta, que fazem o torcedor mais lúcido cair na real e perceber que existem alguns discursos enganosos. Vale destacar o seguinte: até o final de 2014, a ex-patrocinadora pagou a maior parte da folha salarial do elenco. Em muitos casos, o Fluminense arcava somente com 20% dos salários.

3 – Para encerrar o assunto sobre as finanças: o Fluminense teve um considerável aumento de receita de TV, aumento da verba anual do fornecedor de material esportivo e algumas boas vendas de jogadores (Conca por duas vezes, Wellington Nem, Thiago Neves, Fabinho, Wallace e outros). Para não dizer que sou tão radical, não acusarei o fiasco da contratação do Martinuccio. Na minha opinião, o Fluminense deu um tremendo azar. Faz parte do jogo.

4 – Ninguém sabe em que condição o Walter foi negociado para o Atlético/PR. O Fluminense ainda terá que dar R$ 6 milhões ao Porto por 25% dos direitos econômicos do jogador?

5 – Espero que a espinha dorsal deste time tome vergonha na cara e jogue bola de verdade. Cavalieri, Gum, Jean e Wagner estão devendo. Só isento o Fred. Antonio Carlos e Pierre podem ajudar a fortalecê-la.

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook 

PUBLICIDADE