Ajustes a serem feitos no Fluminense, Ganso e Nathan atuando juntos, jogo contra o Palmeiras e muito mais: leia a entrevista coletiva de Fernando Diniz






Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva no Maracanã

O técnico Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva após a vitória do Fluminense por 2 a 1 sobre o Junior Barranquilla (COL), na noite desta quarta-feira (04), no Maracanã, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Confira abaixo todas as respostas do treinador tricolor:

Desempenho contra o Barranquilla 

“Na realidade o que o time fez de melhor hoje foi resgatar o que eles já tinham, que mostraram para poder conquistar o Campeonato Carioca de maneira especial no jogo contra o Flamengo. A gente trabalhou aspectos táticos. No dia pós-jogo deles, levei eles a campo, não ficaram apenas na recuperação, fizeram recuperação mais ativa comigo, fizeram alguns movimentos táticos para poder facilitar um pouco no dia de hoje. Mas, fundamentalmente, o aspecto principal foi o anímico, então acho que resgatou pelo menos um pedaço para o jogo de hoje.

Reestreia com vitória 

“Começar vencendo é muito bom. Para ser melhor só se a gente não tivesse tomado gol que dava para evitar. Vi jogadores falarem que foi falta, não posso nem falar… De certa forma o time acabou sendo mais agressivo, embora não fosse preciso ser agressivo porque tomou o gol. Era para ter continuado com agressividade. Mas a vitória é muito boa, passa confiança, espero que sirva para deixar o Maracanã cada vez mais cheio. Torcedor do Fluminense gosta de ver o time ganhar e jogar bem. Espero que esse Maracanã fique cada vez mais lotado. Convite que faço ao torcedor, porque empenho, como aconteceu hoje, não vai faltar. Não faltou vontade nem solidariedade, nisso sobraram.”

Atuação de Willian Bigode 

“Willian deve ser um recorde na minha carreira. Tentei levar ele para todos os meus times. Os movimentos do Willian, no fundo era questão de facilitar para que os jogadores pudessem ter de fato mais aproximação, gerar sequência de movimento, com certo coordenamento para facilitar o jogo para eles. Willian tem capacidade muito boa, muita técnica, capacidade de flutuar no meio das linhas. Acho que ele conseguiu corresponder bem nesse aspecto.”

Ajustes a serem feitos no Fluminense

“Eu gosto que o time marque mais adiantado. Se não conseguir, tem que ser solidário e voltar para não sofrermos o gol. Isso não é um erro voluntário do time. Quando estivermos mais organizados, com um pouco mais de tempo, a gente vai sustentar a marcação mais adiantada. O pior no futebol é quando você não marca nem na frente nem atrás como aconteceu como algumas vezes no jogo de hoje. Taticamente ficamos mais vulneráveis. Depois, mais atrás, passamos a nos defender bem, mas não é o jeito de jogar que eu gosto. Como a gente não conseguiu se organizar, porque pressão alta é coisa que demanda tempo, organização, encaixe e principalmente a harmonia dos movimentos, para a gente saber subir todo mundo. Estavam jogando em outro padrão de marcação, mas até que viraram a chave rápido no jogo de hoje. A tendência é a gente melhorar.

A equipe precisa melhorar em todos aspectos. Na verdade, qualquer time sempre precisa melhorar. Mas a equipe fez grandes jogos com o Abel. Sequência de 12, 13 partidas de vitórias seguidas, conquista do Campeonato Carioca, algo que pouca gente esperava, e jogando bom futebol. Então é equipe que tem conteúdo. Mas agora, é uma mudança de mentalidade tática, isso não quer dizer que é melhor ou pior. Eles não fizeram melhor porque não podiam fazer melhor hoje. Mas foram perfeitos em solidariedade, como Cano, Ganso, que saiu de segundo volante. Marcaram e ajudaram, de boa vontade, por isso que mereceram essa vitória.”

Elogios a Luiz Henrique e busca por substituto para o atacante

“Esses primeiros dias no Fluminense têm sido, para mim, especiais, eu adoro estar aqui. Me emociona poder voltar, eu fiquei três anos experimentando, para poder voltar melhor do que eu parti em 2019. Meu contato com os jogadores sempre é muito próximo, e com o Luiz Henrique não é diferente, eu considero ele um jogador brilhante, com um potencial incrível e acho que a carreira dele está só no começo. Ele pode decolar de maneira bem exponencial.

O Fluminense já está preocupado com essa situação. Eu, chegando, também. Confesso que o Luiz Henrique é uma joia muito rara, jogador muito difícil de fazer reposição, porque ele é muito raro. Vamos monitorar dentro do possível. Às vezes têm jogador que você gosta, mas a condição financeira do clube não permite você contratar, mas o Fluminense já está monitorando e eu também.”

Jogo contra o Palmeiras

“O time do Palmeiras é o time mais competitivo que tem no Brasil. É o mais estável, time que consegue dominar muito bem as fases do jogo, tanto pela qualidade do seu treinador, mas também dos jogadores, pelo histórico vencedor que eles têm. Adversário muito duro que vamos enfrentar, mas vamos fazer o melhor para fazer grande jogo no domingo.”

Ganso e Nathan atuando juntos 

“Sobre Nathan, não tem fundamento quem acha que ele não pode jogar com o Ganso. Hoje jogaram juntos um pedaço do jogo. Jogador bom pode jogar junto.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE