As duas caras do Fluminense




Foto: Mailson Santana / Fluminense FC

Mais uma derrota no Brasileirão, a terceira consecutiva em apenas sete dias. Tem como o torcedor do Fluminense não ficar azedo? Sobre a goleada sofrida no Independência, vamos aos fatos:

Primeiramente, o Fluminense jogou bonito na primeira etapa e não ficou devendo nada ao Atlético-MG. O empate nos primeiros quarenta e cinco minutos foi justíssimo.

No Flu, dois destaques: Gilberto e Pedro. No caso do nosso lateral-direito, o cara foi muito guerreiro. Mesmo com o tornozelo arrebentado, lutou até o início do segundo tempo e honrou a camisa que veste. Merece o nosso total respeito!

Já o nosso artilheiro, que estava lesionado, voltou a mil por hora. Marcou um golaço, quase marcou outro ainda mais bonito e perdeu outras chances. Verdade seja dita: com o nosso camisa nove na equipe, a nossa bola ganha vida lá na frente. Não dá para deixar de mencionar que o Pedro teve a chance de fazer o 3 a 2 para o Fluminense. Paciência, faz parte do jogo.

Com o time quase completo, mesmo com alguns jogadores a meia bomba, endurecemos o jogo diante do Atlético-MG, mas quando precisou trocar as peças durante a reta final do jogo… Pois é, o Fluminense desandou bonito justamente na reta final da partida. Culpa do Abelão? Já falei aqui e vou repetir: sem elenco, não dá para fazer milagre.

“A equipe completinha é bem organizada e muito aguerrida, mas não possui peças de reposição, entretanto, nada justifica esse endeusamento que o nosso treinador tem pelo limitadíssimo João Carlos. Até quando teremos que aturar essa baranga que nos entubaram? Isso é sacanagem com a torcida e, principalmente, com o Fluminense”. 

A forma que o Fluminense teve que encarar a reta final da partida comprova a falta que faz um elenco minimamente razoável. Terminamos o jogo sem laterais de ofício e com improvisações que desmontaram toda a estrutura tática da equipe. Aí, meus amigos, a redonda puniu sem dó nem piedade.

Como futebol é bola na rede, não direi que a goleada foi mentirosa. Na minha visão, a partida contra o Atlético-MG mostrou com exatidão os dois Fluminenses que temos: o do time que sabe jogar bonito quando está completo e o que é horroroso quando sofre algumas modificações.

Na próxima quarta, último jogo antes da paralisação da Copa do Mundo. O Santos também não está bem das pernas, mas tem uma linha ofensiva que é enjoada. De qualquer forma, acho que dá para pensar em vitória, desde que a equipe não necessite de improvisações, caso contrário…

Não sei como será o nosso segundo semestre. Há quem garanta que alguns dos nossos principais jogadores já estão vendidos e que não teremos reposições. Será? Só o nosso apagadíssimo presidente Pedro Abad pode responder, mas se realmente for verdade, nem preciso falar qual será o final dessa história, né?

Saudações Tricolores

Vinicius Toledo



Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE