Até quando o Fluminense aguentará?






Cada ano que passa, eu fico ainda mais confuso com a forma que o Fluminense conduz o seu futebol. Ao mesmo tempo que é reconhecidamente um grande formador de talentos, o clube virou uma espécie de abrigo de vários jogadores de qualidade pra lá de duvidosa.

Nesta semana, por exemplo, o Tricolor acertou as contratações do zagueiro Rafael Ribeiro e do volante Wagninho, ambos do Náutico. O primeiro virá apenas em 2021. Já o segundo “reforçará” o time Sub-23.

Aí a gente olha para a base do Fluminense e vê diversos bons valores. Alguns se destacando nos bons times do Sub-17 e também do Sub-20. Inclusive, vale destacar o excelente trabalho do técnico Eduardo Oliveira à frente do time Sub-20. A equipe é muito bem treinada e apresenta um bom futebol.

Outros bons valores da base estão esquecidos no profissional, como o Miguel, por exemplo. Por falar no jovem meia, no sábado passado, tivemos uma prova de como é confusa a gestão de futebol tricolor. O Fluminense disputou quatro jogos de Campeonato Brasileiro nas categorias do Sub-17, Sub-20, Sub-23 e profissional. E o garoto não entrou em nenhum deles. Alguém realmente consegue achar isso normal?

Isso para não falar no André, que já tem totais condições de assumir a cabeça de área no lugar do Hudson, mas… Pois é, não dá para entender mais nada. Ainda mais quando é noticiado que a diretoria acredita que o Felippe Cardoso tenha renascido. Como diz o Canhotinha de Ouro: “É brincadeira!”

Enquanto isso, Luan Freitas, Martinelli, Samuel Granada e outros garotos da base seguem apenas em suas categorias ou “engraxando” chuteiras dos “reforços” vindos do Náutico, Tombense, etc…

Não é de hoje que comento que é muito mais correto bancar a garotada da base no profissional com contratações pontuais de verdade. Porém, o clube segue com uma forma de fazer futebol pra lá de ultrapassada.

Até quando seguirá assim?

Ou melhor, até quando o Fluminense aguentará?

Curtinhas:

– O jogo contra o Santos será dureza, mas o Fluminense não pode se acovardar.

– Na verdade, a sequência será dureza: Santos (C), Fortaleza (F), Grêmio (C), Palmeiras (F) e Internacional (F).

Odair Hellmann vai de Igor Julião para marcar o Soteldo?

– Para ter o Hudson praticamente de camisa dez, aí sou obrigado a dizer que sou mais o Ganso.

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE