Atuação do Fluminense contra o Atlético-MG, importância de Germán Cano, clima no vestiário tricolor e muito mais: leia a entrevista coletiva de Fernando Diniz






Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva no Maracanã

O técnico Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva após a vitória do Fluminense por 5 a 3 sobre o Atlético-MG, na noite desta quarta-feira (08), no Maracanã, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Confira abaixo todas as respostas do treinador tricolor:

Atuação do Fluminense contra o Atlético-MG

“A gente fez um jogo sensacional. Do ponto de vista do futebol, para o torcedor tricolor e também para quem gosta de futebol. Foi uma grande exibição. Tivemos erros, claro. Cedemos gols para o adversário que não poderiam ter sido cedidos. Mas queria destacar o desempenho e a coragem de jogar contra um dos favoritos para ganhar o Brasileiro e também a Libertadores. Jogamos futebol de alto nível, os jogadores estão de parabéns. E os torcedores também, eles foram premiados com um grande jogo e uma grande vitória.”

Apelo à torcida tricolor 

“Peço aos muitos tricolores que venham ao estádio, porque a presença deles é muito importante. Quero muito ver esse Maracanã lotado com torcedores tricolores, que é uma torcida apaixonada, linda.”

Semana cheia de treinamentos antes do jogo contra o Juventude

“A semana, em si, ela ajudou. Mas não tem nada de determinante no futebol, as coisas vão se somando. Desde a minha chegada, eu falei que o objetivo era recuperar a garra e a vontade que eles tiveram no primeiro semestre, principalmente nos jogos finais contra o Flamengo. Isso foi feito desde o início. Ao longo do tempo, a gente sempre foi trabalhando, mesmo com as semanas cortadas. Além dos vídeos, a gente trabalha no campo. A semana cheia de treinos foi espetacular, foi muito importante. Não serviu de nada contra o Juventude, porque estava impraticável, mas a gente sabia que ia ajudar para a sequência do campeonato. Mas acho que o mais determinante foi o espírito que o time recuperou, de se entregar a cada disputa, em cada treinamento para conseguir os objetivos.”

Desempenho diante do Atlético-MG foi ideal? 

“Não vejo nada ideal, não vejo futebol nem a vida dessa forma idealista. Sempre é possível melhorar. Temos que corrigir os erros, ser um time mais ativo, mais intenso com a bola no pé. Hoje o que ficou claro que podemos melhor é que não podemos tomar três gols assim. No fundo, o Atlético nem produziu para fazer três gols.”

Importância de Germán Cano

“O gol de barriga foi uma feliz coincidência (risos). O Cano tem uma sintonia bastante fina com aquilo que eu penso do futebol. Mas é mais do que penso do futebol, é do que penso na vida. É um cara diferente, minha relação com ele no Vasco foi extremamente prazerosa, com um grau de profundidade que não é fácil de ter em pouco tempo. Aqui no Fluminense é uma continuidade disso. Ele, além de fazer gols, eu falei isso no Vasco que ele ia ser mais participativo, na fase de construção. Mas isso não ia inibir ele de fazer os gols. E ele tem ajudado muito a equipe em todos os momentos do jogo, está sendo premiado com esse número de gols.”

Resposta anterior sobre a apoio da torcida

“Eu não dei um recado ao torcedor, é mais um desejo que eu tenho. Fico muito feliz quando os torcedores vêm em grande número. Hoje quem veio pode ter certeza que ajudou muito, foi muito bonito. Se tivesse mais gente, seria mais bonito ainda. Quando a torcida do Fluminense lota o estádio é uma coisa muito bonita de se ver. É menos um recado e mais um desejo meu.”

Boas atuações de Cris Silva e Samuel Xavier

“Eles tiveram uma tarefa muito difícil. O Cris, você que acompanharam o jogo viram que a tentativa do Atlético era constantemente no Ademir. Ele conseguiu marcar bem e conseguiu também produzir com a bola no pé. Ele fez uma partida muito boa, já tinha entrado muito bem contra o Juventude, está bem nos treinamentos. É mais um jogador que a gente vai recuperando e ganha para a sequência da temporada. E o Samuel, desde que eu cheguei aqui, tem jogado muito bem. É um jogador que eu conheço, já trabalhei com ele no início da carreira dele e da minha, no Jundiaí, em 2010. Ele jogava mais por dentro, eu acabei colocando ele de lateral. É um jogador que eu acompanho, tenho um carinho muito grande, ele tem uma trajetória muito bonita dentro do futebol. É muito bom reencontrá-lo aqui e desfrutar junto dele desse momento positivo que ele está vivendo.”

Clima no vestiário

“É um clima de muita alegria, mas pode ter certeza que de pés no chão. Os jogadores têm que desfrutar de uma vitória desse, e têm que desfrutar mesmo. Têm que aproveitar até o momento que der. Passou amanhã, já vamos começar os treinamentos e pensar no Atlético-GO. Temos que procurar corrigir os erros que tivemos no jogo e otimizar as coisas que fizemos bem feito.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor / Fonte: Globo Esporte

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE