Coragem, Roger Machado!




Roger Machado (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.)



É justo que se dê tempo a todo profissional que inicia uma nova jornada de trabalho. No caso do Roger Machado, acredito que essa linha de pensamento não poderia ser diferente. Porém, o futebol brasileiro vive uma situação atípica por conta da pandemia. Sendo assim, o tempo torna-se um grande obstáculo.

O Brasileirão acabou no final de fevereiro. Uma semana depois, a bola rolou pelo Estadual. Agora, em abril, começa a Libertadores. Pois é, não há tempo para testes ou acúmulo de dúvidas. Contudo, algumas situações já são conhecidas muito antes da chegada do Roger Machado.

A lateral-esquerda do Fluminense, por exemplo, é algo sombrio. Na reta final do último Brasileiro, Egídio acabou passando batido por conta do Luccas Claro, que segurou o lado esquerdo tricolor com a sua alta performance. No meio de campo, Nenê teve os seus méritos na temporada passada, mas nunca mostrou uma regularidade para executar a função de meia de criação. Já no ataque, Lucca se sustentou sob o argumento de que desempenha “importante função tática”, em especial, na recomposição.

É inegável que a campanha no último Campeonato Brasileiro foi digna de aplausos e elogios. Apesar de tantas dificuldades, o Fluminense realmente fez bonito. No entanto, isso não significa que tudo esteja lindo e maravilhoso. Para encarar a temporada, o Tricolor precisa reforçar algumas posições carentes.

Enquanto não chegam reforços, o Roger Machado deveria ousar um pouco mais. Se a lateral-esquerda é problemática, então não seria a hora de testar o garoto Jefté?  Pode parecer precoce, mas se temos essa alternativa, não custa nada tentar. Estadual está aí para isso.

Outro ponto que merece ser revisto é a questão da formação tática. Desfazer essa formação com três atacantes para colocar mais um jogador no meio de campo tende a deixar o time mais equilibrado. Um losango no setor pode ser uma boa pedida. Com base no atual elenco, eu apostaria no Michel Araújo. O uruguaio pode até não ser tão regular, mas é o único que possui o estilo de agredir ofensivamente quando vem de trás. Acho que seria válido insistir com ele como meia.

No restante, aguardarei as movimentações da diretoria para a montagem do elenco. Só espero que não rasguem dinheiro com jogadores de qualidade duvidosa…

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE