Da euforia ao caos em uma semana




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

Ganhe 5% de desconto na Loja Virtual do Flu! Como? Utilize o código promocional no ato da compra: explosaotricolor

Da euforia ao caos em uma semana

E o Fluminense só precisou de uma semana pra levar a torcida da euforia ao desespero. Empate com Sport dentro de casa e vitória da Chapecoense em cima do Santos ontem a noite em pleno Pacaembu. Pronto! O fantasma voltou e o rebaixamento já está no retrovisor. Estamos a apenas quatro pontos do 17º colocado, que é o próprio time catarinense.
Na última terça-feira escrevi em minha coluna que estava tentando esquecer completamente a derrota para o Vasco no sábado anterior e focar no jogo contra o Furacão na Arena da Baixada. Naquela oportunidade ficou claro que a arquibancada tricolor estava em êxtase e a Copa Sul-Americana parecia uma real possibilidade. Já o rebaixamento era apenas um pesadelo distante.
Pois é, uma semana! Eu disse UMA SEMANA e tudo mudou. Parece até que dá azar esquecer, por um só minuto, a incompetência da Flusócio e dos seus dirigentes. É o preço que se paga por ser tricolor: apoiar o futebol e vaiar a diretoria. Quando lembramos só do primeiro, os deuses nos cobram a eterna vigilância que devemos manter nas coisas que circulam os meandros das Laranjeiras.
Primeiro, a derrota acachapante para o Atlético do Paraná. Se não fosse o Júlio César, sairíamos do sul com uma goleada histórica. Os caras tiveram 13 chances reais de gol e o Fluminense parecia um time pequeno desnorteado com a velocidade dos paranaenses. Jogo pra esquecer!
Depois, veio o empate sem gols dentro de casa contra o Sport. Por um momento achei que o Fluminense ganharia facilmente a partida e que não precisaria pensar em rebaixamento, fato que nos persegue desde que a Unimed saiu do clube. Mas estava enganado e aqui estamos nós de novo fazendo contas.
Mas como nada é tão ruim que não possa ficar pior. O próximo adversário é o Palmeiras na casa deles. Se o time perder em São Paulo, dependendo da soma de resultados, pode voltar com apenas um ponto acima da zona de rebaixamento e ainda restando quatro partidas, sendo duas delas fora: Inter e Bahia. Preocupante!
O cenário ainda pode piorar! A partida de volta contra o Atlético do Paraná será no próximo dia 28. Confesso que pensei, que até lá, o Marcelo Oliveira poderia mesclar o time para descansar a turma para o jogo da Sul-Americana. Mas do jeito que vai, o treinador terá que escalar o time principal em todas as partidas para garantir a permanência na Série A do ano que vem.
A torcida elegeu alguns culpados. Nas redes sociais a reclamação é contra os jogadores e o treinador Marcelo Oliveira. Contudo, não consigo enxergar outro culpado que não a própria diretoria.
Sejamos sinceros: a turma do ar-condicionado até aqui contou com a raça e a vontade do time em campo. Eles não foram capazes de trazer bons nomes para compor o elenco e nem peças de reposição minimamente à altura dos jogadores que entram em campo. Resultado: uma hora a perna pesa e não dá mais pra contar com a entrega dos jogadores nas quatro linhas; eles precisam de reposição.
E quando chega a hora de ter elenco, o atual treinador tricolor deve olhar pro banco e pensar: se os que entraram não dão conta do recado, imagina os que estão de fora? O time é fraco e chegou até aqui na base da superação. Mas uma hora a raça dá lugar ao cansaço e a diretoria não montou uma equipe boa o suficiente para disputar essa maratona nacional e internacional de partidas.
O que quero dizer é que a culpa não é dos jogadores e muito menos do treinador. Pode-se questioná-los, mas jamais culpá-los exclusivamente por esta situação. Quem contratou atletas  limitados foi a diretoria; e é ela que não os paga em dia. Ou seja, roteiro completo para a derrota.
Apesar de tudo isso, ainda tento buscar otimismo e esperança. A possibilidade de rebaixamento é real e o placar construído pelo Atlético do Paraná parece irreversível. Mas o clube é enorme e terá muito mais chance de superar as dificuldades se contar com o apoio da massa. O Fluminense somos todos nós! Não nos esqueçamos da incompetência da Flusócio, mas o apoio neste momento é fundamental para a conquista dos dois objetivos deste fim de temporada, que é a Sula e a permanência na Série A.
Os piscineiros das Laranjeiras? Dispenso. Agora é a hora da arquibancada dar o tom da arrancada e evitar um vexame que nesta altura seria histórico. Só a torcida é capaz de tirar o clube dessa situação.
Verdadeiros culpados: Flusócio e Pedro Abad. Solução: torcedor no estádio cobrando da diretoria e apoiando os jogadores, além da raça que estes precisam mostrar até o fim do ano. Pra mim, essa a única possibilidade de sucesso tricolor nesta reta final.
Ser Fluminense acima de tudo!
Evandro Ventura

PUBLICIDADE