Derrota para o Ceará, formação com dois centroavantes no segundo tempo, situação do Fluminense no Brasileirão e muito mais: leia a entrevista coletiva de Marcão




Marcão (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



Marcão concedeu entrevista coletiva após a derrota do Fluminense para o Ceará

Após a derrota do Fluminense por 1 a 0 para o Ceará, na tarde deste domingo (31), o técnico Marcão concedeu entrevista coletiva na Arena Castelão. O treinador falou sobre o revés diante do time cearense, formação com dois centroavantes no segundo tempo, situação do Tricolor no Campeonato Brasileiro e muito mais. Leia a íntegra abaixo:

Derrota para o Ceará

“A gente tomou um gol muito cedo, a gente sabia que teria essa pressão inicial, mas, mesmo assim, ficou um jogo bem igual, nem para lá, nem para cá. Lógico que depois que eles perderam um jogador, a gente criou uma situação para jogar com os nossos cinco homens de frente, mais por dentro, com nossos laterais mais afundados para criar superioridade na última linha deles e situações de gol.

É lógico que a gente teve poucas chances de gol, mesmo depois (da expulsão). A gente tentou tudo, tirou o André, colocou um meia (Gustavo Apis), colocou o Arias para correr atrás da segunda linha deles… Mas a gente criou pouco, teve uma (chance) com o Fred, com o Gustavo (Apis), com o Lucca no final (gol anulado)… A gente queria fazer essa jogada de lado para fazer correr a linha deles. No final, a gente acabou criando essas bolas por dentro, mas fomos pouco efetivos. É trabalhar para ajustar. Esse é o caminho: trabalhar muito para ajustar, que no outro final de semana já tem jogo importante, dentro da nossa casa. E é o momento da gente pedir o apoio do nosso torcedor, para eles jogarem junto com a gente.”

Formação com dois centroavantes no segundo tempo

“O Raul entrou no lugar do Abel. Quando a gente colocou o segundo atacante foi para segurar a última linha, prender com os dois jogadores que fazem o pivô. E, se tivesse jogada de lado, a gente aproveitaria o posicionamento dos dois. Conseguimos segurar a última linha deles, mas fomos pouco efetivos. A gente chegou do lado, poderia variar bastante por dentro, com esses dois jogadores. É o ajuste necessário que a gente precisa para criar as situações que a gente quer transformar em gols.”

Acréscimos no segundo tempo

“Uma situação importante do jogo, não é uma desculpa. A gente teve 104 minutos de jogo e 42 minutos de bola rolando. A gente precisava fazer o jogo acelerar. Não é desculpa , mas é difícil trabalhar na situação que o jogo para toda hora. Ele deu oito (de acréscimo), mas deveria ter dado 12. Estou falando para todas equipes, não só porque hoje foi contra. Se minha equipe fizer também, tem que ser punida. Foi um absurdo 104 minutos de jogo e 42 minutos de bola. É muito pouco.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

Variações táticas

“A gente tem que analisar todas as situações. A gente não descarta a possibilidade de variação tática. Jogamos com o Arias hoje por dentro por saber que eles têm um jogo específico, jogam com duas linhas de quatro, trabalham com os volantes. A gente queria esse jogador para jogar nas costas do volante. Em algum momento funcionou, mas em outro foi pouco efetivo no penúltimo passe. Em casa, diante do nosso torcedor, a gente vai buscar a melhor variação possível, para ser mais efetivo e transformar as ações em gols. Hoje ficamos com a posse, com a bola, mas criamos poucas situações.”



Situação do Fluminense no Brasileirão

“A gente está bastante atento com a tabela. No jogo passado, a gente queria ter conquistado a sexta colocação e não aconteceu. Neste jogo a gente não conseguiu o resultado. A gente está focado, tivemos uma conversa importante no vestiário. São nove decisões. Conhecemos bem o grupo, os jogadores, todo estafe. Nos momentos de dificuldade, a gente fica cada vez mais junto.

A gente pede o apoio do torcedor nessas nove decisões, que eles sejam nosso 12º jogador. A gente vai trabalhar bastante e fazer o melhor para conseguir a vitória.”

Luccas Claro e Fred no banco

“O Braz viveu um bom momento, está positivo. Como o Luccas, é um cara equilibrado e mereceu a chance. A gente queria vê-lo jogando com o Nino. Eles responderam bem. O Luccas ficou um ano, um ano e meio no time, é um cara excepcional. A gente não determinou titularidade. Só que, pelo momento do Braz, a gente achou que deveria mantê-lo.

Sobre o Fred, foi importante a volta dele, no vestiário e em campo. Dá peso, e acredito que a gente tem uma semana para trabalhar, acredito que ele possa nos ajudar no final de semana.”



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE