Miguel, Fernando Pacheco, Fla-Flu, Laranjeiras e gestão




Foto: Mailson Santana/ FFC

Sim, eu já sei que o Campeonato Carioca não é parâmetro técnico para qualquer tipo de avaliação mais aprofundada. Sendo assim, não adianta soltar fogos por conta do aproveitamento de 100% até aqui ou detonar tudo por conta de uma eventual derrota.

Mais do que nunca, a torcida tem que dar um voto de confiança, em especial, ao técnico Odair Hellmann. Ainda está muito cedo até para identificar a proposta de jogo do time. Com apenas dez dias de pré-temporada e três jogos no período de apenas uma semana, o rodízio de jogadores foi algo inevitável.

Para o Fla-Flu, o outro lado entrará com o time Sub-20. Futebol é algo muito imprevisível, mas não dá para fugir da obrigação de escalar o que o Fluminense tem de melhor no momento. É claro que a questão física tem que ser levada em conta, mas não dá para perder essa oportunidade. É jogar com o que tem de melhor e partir com tudo pra cima dos caras.

Por tudo que foi apresentado nos três primeiros jogos, é difícil imaginar a formação titular sem o Miguel. É lógico que não dá para jogar a “responsa” nas costas do garoto, mas o Campeonato Carioca é o momento certo para que o próprio Miguel e outros jovens talentos passem por todos os tipos de experiências possíveis. A hora de bater cabeça é agora!

Além do Miguel, quem também está mandando muito bem é o Fernando Pacheco. O peruano está jogando o fino no Pré-Olímpico. Nos jogos contra o Brasil e Paraguai, o novo reforço tricolor mostrou habilidade, visão de jogo, explosão física e excelente condução de bola. Só precisa arriscar mais finalizações. É sempre bom manter os pés no chão, mas o garoto realmente sinaliza um grande potencial.

É isso aí, galera. Por hoje é só!

Curtinhas

– Sigo aguardando a divulgação do orçamento para 2020. Sem ele, não dá para ter a noção exata do que a atual diretoria planeja arrecadar com patrocínios, venda de jogadores, etc…

– É claro que não dá para esquecer do BackOffice. É sempre bom lembrar que esse custo era de R$ 1,9 milhão mensais, em 2018, mas que subiu para R$ 3,7 milhões, em 2019. Segundo o presidente, foi realizado um mapeamento de todos esses custos. No entanto, até o presente momento, o resultado não foi divulgado publicamente. Resta saber se aparecerá no portal da transparência.

– O projeto da reforma do estádio de Laranjeiras voltou a ser um dos principais assuntos comentados nas redes sociais tricolores. Clima esquisito, mas fica uma pergunta: se o grupo que está tocando o projeto já avisou que o clube não precisará investir um centavo, o que falta para acelerar essa parada?

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo

Clique aqui para ler o texto anterior



PUBLICIDADE