O gosto amargo do empate




Deixar a vitória escapar nos acréscimos, depois de estar à frente no placar por duas vezes, deixou o final do domingo com um gosto amargo pra torcida tricolor.

Um gosto amargo de derrota, eu diria.

Nem o tradicional vinho pós-jogo do Abelão escapou dessa vez. O próprio treinador afirmou na coletiva que ia tomar um vinho estragado, de raiva.

Pois bem, apesar do gosto amargo, não se pode negar que o time lutou. Eu vi entrega dentro de campo. Não dá pra ficar criticando cegamente a molecada do Flu. A crítica justa tem que apontar pra outra direção…

Teve protesto nas Laranjeiras. Tá certo, tem que ter mesmo. Acho válido meter um calor na diretoria, que, como disse na coluna anterior, apesar de adotar uma austeridade fundamental para as finanças do clube, não pode se acovardar no cenário do futebol nacional.

Criatividade, meus amigos. Essa aí vem de graça, basta se esforçar. Não é possível que times com orçamento muito menor que o nosso consigam montar equipes mais competitivas que a nossa.

O time precisa de reforços, isso é claro e evidente, e não basta contar com a molecada da base e do Flu-Europa. Precisamos de caras que cheguem pra vestir a camisa e outros que pelo menos incomodem de fato os titulares da posição, prontos para serem utilizados quando necessário.

É nos momentos mais difíceis que os melhores profissionais se destacam, buscando recursos e energias onde antes não existiam.

Precisamos acordar. Chega de meio de tabela.

Tenho certeza que esse time, com a volta de todos os titulares, pode brigar pelas primeiras posições da tabela, mas já se mostrou que reforços são necessários. Colocar os moleques na fogueira e dizer “resolve aí” pode ser um tiro no pé pra própria carreira deles.

Pra usar uma palavra que a própria diretoria adora, é desvalorizar os ‘ativos’ do próprio clube.

Eu não sou tão velho assim, mas sou do tempo que os jogadores que vestiam a camisa do meu time não eram chamados por um termo desses que os engravatados da economia adoram utilizar, como esse tal de ‘ativo’.

No meu tempo o cara vestia a camisa pra ser chamado de ídolo.

No mais, VENCE O FLUMINENSE!!!

Pitacos do Toni:

– Claro que teve gol ilegal do lado de lá, né… se não for assim, fica difícil pra eles.

– Wendel teve a sua presteza recompensada. Corre o campo todo, tem sido o coração do time.

– Em que pese o time ter levado dois gols, preciso reconhecer que o Reginaldo fez uma baita partida no meu modo de ver. E não teve missão das mais fáceis…

– Além de estrear pelo rival, o Conca ainda deu uma sapatada no Orejuela… se não fosse isso, nem teria sido notado em campo.

– Próximo jogo é contra o Avaí. Obrigação de vencer, em casa, fora, em outro planeta, no inferno… onde quer que seja.

– Avaí (fora), São Paulo (fora), Chapecoense (casa). Se não vencer a próxima, vamos nos complicar pra sequência do campeonato. Não tem como pensar em outro resultado senão a vitória.

Toni Moraes

VÍDEO: Assista mais abaixo o show da bateria dos moleques da banda descontrolada!

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

SEJA PARCEIRO DO EXPLOSÃO TRICOLOR! – Entre em contato através do e-mail:explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE