Opinião sobre as duas primeiras semanas da nova gestão




FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC



Fala, galera tricolor! Primeiramente, peço desculpas por ter sumido do site por uns dez dias. Até apareci, mas foi através de uma live no Facebook. E as últimas do nosso Fluminense? Pois é, meus amigos e minhas amigas, nem em período de recesso temos descanso. É uma notícia atrás da outra, um bombardeio!

Começarei falando sobre as duas primeiras semanas da nova gestão. Logo de cara, vale lembrar que o presidente pediu o mês de paralisação da Copa América para tentar solucionar os problemas referentes aos atrasos salariais. Sendo assim, acho mais do que justo que a torcida deixe o cara trabalhar em paz. Isso também vale para o futebol. Nunca me iludi com pacotão de grandes contratações, pois tenho noção da real situação financeira do clube.

Na última terça, a nova diretoria anunciou as contratações de três ex-jogadores para assumirem coordenações técnicas de Xerém. Nada contra o Cadu, Duílio e Aílton, mas confesso que fiquei preocupado. A última gestão foi trágica para o Fluminense, mas o trabalho realizado em Xerém, apesar das limitações financeiras, foi positivo. Com maiores investimentos, não tenho dúvida de que poderia ter sido ainda melhor. Não criticarei os novos coordenadores, mas também não soltarei fogos. O tempo dirá se as mudanças foram válidas ou não. De qualquer forma, fica a minha torcida para que dê muito certo.

Já nas redes sociais, a guerra política segue intensa. Trocas de acusações, xingamentos, histórias do passado sendo relembradas, etc… Terrível! Foram divulgadas algumas nomeações para alguns cargos e, consequentemente, foi promovida a velha e tradicionalíssima caça às bruxas motivada por diversas questões. Contar com pessoas de confiança é algo mais do que natural, desde que estejam qualificadas e, principalmente, entreguem resultados. Sendo assim, o tempo é a melhor resposta.

Particularmente, acho que a principal cobrança tem que ser a exigência de uma urgente revisão do BackOffice. Não canso de repetir que é inadmissível o Fluminense gastar cerca de R$ 3,7 milhões mensais com funcionários e pessoas jurídicas. O valor está muito acima das possibilidades do clube e, principalmente, do que é pago no mercado. Na minha visão, a redução do BackOffice é a ação mais urgente para iniciar o processo de recuperação do fluxo de caixa do clube. Com ele elevado, não adiantará de nada ter patrocínio máster, reorganizar dívidas, etc… Ou seja, vai ter que continuar vendendo jovens talentos para seguir bancando toda essa turma.

Sobre o futebol, o elenco inicia o segundo semestre com mais necessidade ainda de ser reforçado. Gosto do goleiro Walter, do Corinthians, que, segundo informações dos bastidores, é a prioridade da diretoria para a posição. Para a zaga, se possível, é claro, acho que seria válido procurar no Uruguai ou Paraguai. Os nossos dois vizinhos possuem a tradição de formarem bons defensores. Outra posição que necessita ser reforçada é a lateral-esquerda já que o Mascarenhas ficará mais dois meses parado. Na falta de grana, eu arriscaria o Dieyson, que fez um excelente Campeonato Carioca com a camisa do Bangu (assista ao vídeo dele). Finalizando o pacotão de necessidades, um meia de criação também seria bem-vindo.

Para encerrar o papo, não há como não deixar de falar sobre o problema do goleiro Rodolfo. Não sei se é por desinformação, falta de experiência de vida ou maldade mesmo, mas me assusta a quantidade de atrocidades comentadas por algumas pessoas nas redes sociais. O ser humano Rodolfo fraquejou mais uma vez. Sim, ele jogou no lixo uma senhora oportunidade. No entanto, quem somos nós para batermos o martelo e condená-lo?

Dependência química é algo bastante delicado para ser julgado com irresponsabilidade. Torço para que o Rodolfo queira vencer essa batalha. Apoio de todas as formas é necessário, mas a vontade do próprio dele será fundamental.

Por hoje é só!

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE