Pés no chão e uma certeza




FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC



Vencer sempre é bom. E quando você está com a corda no pescoço, é melhor ainda. A sensação é a de que sai das costas um peso de dez toneladas.

Diante do Grêmio, o Fluminense não teve uma grande atuação. No entanto, não faltaram disposição, vontade e raça. Assim como dá para afirmar que não faltou sorte. Sim, a sorte esteve ao lado da rapaziada comandada pelo Marcão. Os gols marcados no início de cada um dos tempos foram extremamente determinantes para a construção da vitória sobre os gaúchos.

Em diversos momentos, o time reserva do Grêmio se mostrou superior. Para alguns, isso foi o fim do mundo. Porém, enxerguei o domínio gaúcho como fruto de um grande trabalho desenvolvido pelo Renato Gaúcho. Por mais que um ou outro ainda desdenhe, a verdade é uma só: o cara tornou-se um senhor treinador.

O Fluminense até tentou trocar passes, mas errou bastante. Em alguns momentos, os jogadores se mostraram muito afobados. Acho até que a necessidade desesperada de vencer acabou sendo mais um grande obstáculo a ser superado. Como futebol é bola na rede, deu Fluminense. E, no final das contas, é isso que importa, mas…

Pois é, ainda faltam dezesseis jogos, ou seja, a caminhada ainda é longa. Aí fica a pergunta: vale a pena bancar o Marcão só por ele ser um cara agregador, identificado com o clube e camarada dos jogadores? O que ele tem a oferecer além da questão motivacional? Ao mesmo tempo que a permanência do Marcão seja algo questionável, as opções disponíveis no mercado, de acordo com a realidade financeira do clube, não são muito animadoras.

Definitivamente, a diretoria está numa espécie de sinuca de bico. Situação pra lá de complicada…

Pés no chão e uma certeza: o Fluminense não pode mais errar.

Curtinhas

– Muriel está muito bem, muito mesmo.

– O Gilberto não se cansa de fazer lambança. Até quando?

– Daniel entrou muito bem. No texto anterior, havia cobrado o aproveitamento dele por conta de sua capacidade de acelerar o jogo do Fluminense.

– Yony González voltou a jogar bem. Será que vai honrar o Fluminense até o fim?

– Ainda está cedo para cravar, mas acho que a pontuação mínima para escapar do rebaixamento será de 41 ou 42 pontos.

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE