Flu completa na temporada 70 jogos de pura oscilação




Amigos Tricolores, o Fluminense completou 70 jogos em 2017 no jogo contra o Coritiba, e o Explosão Tricolor vai  mais uma vez traduzir em números o que fez o Fluminense na temporada, vasculhando os arquivos do DataPauloNense, conforme faz a cada 10 jogos realizados no ano.

E o que os números também refletem é uma temporada de pura oscilação, reflexo de um time instável, que não consegue engrenar uma boa sequência.

Um time instável no ano, nas competições e até mesmo dentro de uma mesma partida demonstra muitas oscilações, dificilmente fazendo uma boa partida ao longo dos noventa minutos.

Vamos aos números:

Em 70 jogos foram 28 vitórias, 20 empates e 22 derrotas. O time marcou 112 gols e sofreu 88. Aproveitamento no ano de 49,52%.  

Placar médio nos 70 jogos: Fluminense 1,60 x 1,26 Adversário, 1º tempo 58 x 47, 2º tempo 54 x 41.

Vamos aos Artilheiros?

Henrique Dourado continua em boa temporada, disparado na artilharia. No ano já soma 31 gols, tendo atuado em apenas 55 partidas. O vice-artilheiro, Richarlison, com 15 gols, infelizmente foi vendido.

Henrique Dourado – 31

Richarlison – 15

Wellington – 8

Gustavo Scarpa – 7

Pedro, Wendel e Sornoza – 6

Renato Chaves – 5

Marcos Junior – 4

Léo e Lucas – 3

Nogueira, Henrique e Reginaldo – 2

Marquinho, Douglas, Renato, Mascarenhas, Osvaldo, Danielzinho, Marlon Freitas, Robinho e Matheus Alessandro – 1

Gol contra a nosso favor – 3 (Maicon, do Avaí; Pará, do Flamengo; Cleber, do Coritiba)

Gol contra:

O Flu fez um: Nogueira, para o Nova Iguaçu.

23 diferentes jogadores já marcaram no ano!

Foram utilizados até agora 42 jogadores na temporada!

Assistências (que geraram gols):

Gustavo Scarpa – 16

Wellington e Sornoza – 8

Richarlison – 6

Léo e Lucas – 5

Marquinhos Calazans e Henrique Dourado – 4

Douglas, Marcos Junior e Marlon – 3

Renato Chaves, Pedro e Wendel – 2

Goleiros vazados:

Júlio César – 47 gols em 40 jogos

Diego – 38 gols em 30 jogos

Marcos Felipe – 2 gols em 2 jogos

Orejuela – 1 gol em 1 jogo

Quem mais jogou em 2017:

Henrique Dourado – 55 vezes

Wendel, Henrique e Lucas – 51 vezes

Marcos Junior – 49 vezes

Léo e Orejuela – 48 vezes

Estádios onde o Flu mais atuou:

Maracanã – 26

Giulite Coutinho e Engenhão – 5

Los Lários – 4

Moça Bonita – 3

Cartões amarelos: 

Henrique Dourado – 16

Lucas – 15

Richarlison – 11

Wendel – 10

Henrique, Nogueira, Reginaldo e Renato Chaves – 9

Léo, Marcos Junior e Sornoza – 8

Renato, Marquinhos Calazans e Douglas – 7

Orejuela – 6

Cartões vermelhos: 7 no total

Diego Cavalieri – 2 (contra Goiás e Flamengo)

Douglas (por 2 amarelos, contra Madureira) – 1

Reginaldo (por 2 amarelos, contra Botafogo) – 1

Nogueira (contra Grêmio) – 1

Orejuela (contra Sport) – 1

Robinho (contra Vitória) – 1

Pênaltis:

18 PRÓ: 15 convertidos e 3 perdidos (83,33% de aproveitamento)

Convertidos: Henrique Dourado (11), Richarlison (3) e Robinho (1)

Perdidos: Osvaldo e Sornoza (2)

3 CONTRA:  2 perdidos (pelo Volta Redonda, defendido por Marcos Felipe, e pelo Coritiba, por cima do travessão) e 1 convertido (pelo Goiás).

DISPUTA DE PÊNALTIS:

Fluminense 4 x 2 Flamengo

4 batidos e convertidos (Lucas, Henrique, Marquinho e Marcos Junior)

4 batidos pelo adversário, dois convertidos, um defendido por Júlio César e um para fora

Faltas diretas:

O Flu fez 2 gols de falta em cobrança direta: Sornoza, contra o Sinop; Gustavo Scarpa, contra a LDU.

O Flu sofreu  5 gols de falta direta: Guerrero (Fla), Edilson e Luan (Grêmio), Felipe Gedoz (Atlético/PR) e Diego (Fla).

PITACOS CURIOSOS:

– O 100º gol do Fluminense na temporada acabou sendo contra: um chutaço de Pará, do time da Gávea.

– O time vai jogar 75 vezes na temporada, maior marca nos últimos 10 anos, superando os 74 jogos disputados em 2009.

Número de jogos nos últimos dez anos:

2017 – Fará 75 jogos

2016 – 68 jogos

2015 – 63 jogos

2014 – 63 jogos

2013 – 69 jogos

2012 – 69 jogos

2011 – 63 jogos

2010 – 69 jogos

2009 – 74 jogos

2008 – 71 jogos

– Dez jogadores da base já estrearam no time de cima este ano: Patrick, Frazan, Marquinhos Calazans, Wendel, Mateus Norton, Matheus Alessandro, Mascarenhas, Luquinhas, Marlon Freitas e Peu. Oriundos da base, mas vindos de empréstimos, Lucas Fernandes e Reginaldo também estrearam. Robert também voltou a atuar vindo de empréstimos. Destaque para Wendel que, no entanto, caiu bastante de produção depois de acordo de venda apalavrado. É a força de Xerém!

– As contusões decorrentes da sequência da temporada, juntamente com as suspensões por cartões, devem gerar cada vez mais desfalques. O time sofreu com saídas importantes, de três de seus principais jogadores, que ficaram fora por muito tempo: Gustavo Scarpa, Wellington Silva e Sornoza.

– Muito sentida a saída de Richarlison, que diminuiu muito a produção ofensiva da equipe.

– Também muito ruim a saída de Marquinhos Calazans, que vinha em ascensão, e, com grave contusão no joelho, só retornará em 2018.

– Números complicados, reflexo de uma temporada difícil para o time, e para o clube.

Mas, apesar de tudo, O IMPORTANTE É O SEGUINTE: SÓ DÁ NENSE!!! 

Por PAULONENSE / Explosão Tricolor

PUBLICIDADE



  • Jurandyr Seibel OReilly Cabral

    Excelente trabalho. Deveria servir para aqueles que colocam sempre a paixão acima da razão. É o prato preferido da mídia que fica babando a espera da oportunidade de conspirar contra nós. E o Abel é o cara da vez. Só fico imaginando o que teria sido o ano se não o tivéssemos. Veja, a irregularidade dos times é a verdadeira regularidade deste ano, razão pela qual o Coríntians deverá ser o campeão. Todas as vezes que vacilou, o que aconteceu com aqueles que o perseguiam? Nós estamos passando,com tudo o que voce levantou, uma verdadeira provação. Então a paciência tem de ser a nossa maior aliada. Não conspiremos contra nós. Abraços tricolores.