Meta de gols, carinho da torcida, importância de Fernando Diniz e muito mais; confira a íntegra da entrevista de Yony González




Yony González (Foto: Lucas Merçon / FluminenseFC)



Yony González concedeu entrevista ao portal Globo Esporte

O atacante Yony González, do Fluminense, concedeu uma longa entrevista ao portal “Globo Esporte”. Confira abaixo todas as respostas do colombiano:

Meta de gols

Yony González: A mentalidade é fazer bem as coisas no Fluminense, fazer a diferença e dar o melhor. Comecei com gols, o que dá muita confiança. Falei com o professor que queria terminar a temporada com, no mínimo, 20 gols. Já fiz oito, e agora vem o Brasileiro, com partidas importantes. Vou me dedicar a cada treino para aproveitar as chances nos jogos.

Carinho da torcida

Yony González: No primeiro jogo, já senti o apoio. Quando você sente isso, quer fazer o melhor para deixar o torcedor feliz. Tento entrar no campo e deixar até a última gota de suor, como dizemos na Colômbia. Eles podem sempre esperar entrega e garra dentro de campo. Além de gols.

Sonho de ser convocado para a seleção colombiana

Yony González: É sempre um sonho representar o meu país. Quero jogar a Copa América, mas sei que é difícil. Estou concorrendo com grandes jogadores e preciso fazer a diferença. Tenho pouco tempo para provar isso. Com a chegada ao Fluminense, fiquei mais perto da seleção. Com as boas partidas que estou fazendo, fico mais próximo de realizar esse sonho que eu tenho, que é representar a seleção do meu país.

Expectativa para a sequência da temporada

Yony González: A gente fala entre a gente que é importante conquistar um título nesse ano. O ano passado do Fluminense não foi bom. Nesse ano, com o início de Diniz, seria importante. Teremos uma partida importante pela Copa do Brasil (contra o Santa Cruz) e temos que tentar. Enfrentaremos uma equipe forte, de tradição, e vamos fazer o possível para ganhar.

Importância de Fernando Diniz

Yony González: Diniz é um treinador que cobra muita movimentação, dá treinos muito intensos. Tem um estilo diferente, tanto que o Fluminense mudou o seu estilo de jogo em relação ao ano passado. Estamos fazendo boas partidas, a equipe está com confiança. No Brasileiro, encontrarão um Fluminense diferente, que gostar de ter a bola e jogar futebol. Gosto do estilo do professor, gosto de jogar o bom futebol e fazer gols. O Diniz me ajudou muito na movimentação. No Barranquilla, não me movimentava muito. Com Diniz, preciso me mexer muito. Ele fala para eu deixar tudo no campo, confia muito em mim, foi quem me trouxe da Colômbia. Busco retribuir essa confiança.

Adaptação ao Rio de Janeiro

Yony González: O Rio é parecido com a Colômbia e com a minha cidade, Medellín. O clima é parecido, o que muda é o idioma. A minha família também está gostando do Rio, isso me deixa feliz, posso trabalhar tranquilo. Sou uma pessoa muito alegre, cheguei e conversei com todos.

Entrosamento com Luciano e Everaldo

Yony González: A relação é boa. O Luciano fala um pouco de espanhol e me compreende mais. Everaldo entende menos quando eu falo, mas tento me comunicar de outro jeito, por gestos. Tento falar com todos os companheiros em campo. Falo com Everaldo, Luciano e os outros companheiros para que vejam os meus movimentos perto do gol.

Posicionamento em campo

Yony González: Minha posição natural é jogar pelos lados. Mas já joguei no (Junior) Barranquilla de centroavante, fiz gols assim. Não tenho problema de jogar pelos lados ou de centroavante, desde que faça os gols. Ficar perto do gol é o importante para mim.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

VEJA AINDA:

+ Não dá para passar batido (por Vinicius Toledo)

+ Em recuperação de lesão, Mascarenhas será reavaliado nesta segunda-feira

+ Fluminense apresentará reforço nesta segunda-feira



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE