A pior defesa é a revelia…




Amigos Tricolores, não bastasse o time de futebol tricolor atual ter uma defesa das mais vazadas no campeonato, vai o clube e paga um mico jurídico histórico na defesa da instituição na Justiça do Trabalho.

Poucas coisas podem ser mais graves no transcurso de uma ação trabalhista do que a parte reclamada não mandar um advogado para defender seus interesses numa audiência.

Os efeitos disso são simplesmente concordar com todo o peticionamento do reclamante, sem direito a contestar um só item pedido. Sem direito nem mesmo a um acordo, que diminui o prejuízo em nome de uma solução mais rápida.

No meio jurídico isso é uma falha grave, injustificável… Lamentável… Levir cobra do Fluminense R$ 2,8 milhões entre salários atrasados e demais obrigações trabalhistas, e a ausência de um advogado na audiência não permitiu nem que o clube discutisse qualquer dos itens pedidos.

Ainda se o Fluminense estivesse nadando em dinheiro já seria muito grave. No estado atual das combalidas finanças do clube, então, é uma situação para ficarmos mesmo muito preocupados.

A revelia na audiência é como um WO no campo. Acabam quaisquer chances de vitória, de lutar…

Por que teria acontecido isso é o que deve ser questionado. Pouco caso? Falta de organização básica no acompanhamento dos diversos processos que tramitam envolvendo o clube, deixando as coisas acontecer?

Será que temos um jurídico à deriva?

A nota oficial do clube tentando explicar o ocorrido a meu ver foi mais grave ainda, pois parece que não reconhece o grave erro e assume um ar de que ficou revel na audiência com todo conhecimento do fato e de seus efeitos.

E diz a nota que o clube sabe da ação, mas “em consideração ao bom relacionamento entre as partes, o Fluminense iniciou tratativas com representante e patrono do técnico Levir Culpi para a celebração de um acordo judicial”.

E alega que ainda não há sentença.

Quem foi o gênio que redigiu? Lógico que ainda não há sentença, dizer isso agora é ridículo.

E é mais lógico ainda que o Levir nem vai querer saber de acordo, pois agora tem a faca e o queijo na mão para receber tudo que pediu inicialmente. Nem vai precisar da tal caixinha de remédios.

Para quem chegou ao clube e logo na entrevista de apresentação disse que queria era ganhar dinheiro, o caminho ficou fácil.

Isso é muito grave. O clube está à deriva!!!

Os que me conhecem e costumam ler meus textos sabem do tom sempre otimista que procuro adotar, sempre buscando coisas boas e positivas nas piores situações. Sinceramente, nesse episódio fica impossível ver algo positivo.

A falta de grana, de patrocínio, de um momento melhor do país para investimentos… Um momento de transição do clube, que ainda se recupera de um longo apoio ao qual se acostumou e perdeu recentemente, não mais conseguindo um patrocínio máster… Tudo isso pode até ser usado para justificar o momento.

A revelia em um processo na Justiça do Trabalho envolvendo um alto valor financeiro é simplesmente injustificável!

Assim que sair a sentença o clube terá que pagar, sob pena de sair imediatamente do ato trabalhista, que é um grande acordo no sentido de manter as obrigações com a Justiça do Trabalho pagas regularmente, para que penhoras não sejam realizadas a cada receita obtida, e a gente sabe que não são muitas…

Preocupa muito que o clube esteja sendo dirigido desta maneira! É para isso que o clube vai vendendo jogadores aos montes?

Difícil mesmo de acreditar.

Lamentável, diretoria! Bola totalmente fora!

Por PAULONENSE / Explosão Tricolor

PUBLICIDADE