Um Fluminense bonito de se ver




Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

Utilize o cupom de desconto do Explosão Tricolor no ato da compra → explosaotricolor



Primeiramente, o torcedor tricolor tem que bater palmas. Na verdade, muitas palmas. Esse Fluminense tá bonito de se ver! Além do belo futebol praticado, não há como não destacar o comprometimento dos jogadores. Mesmo com todos os problemas financeiros, a rapaziada tem honrado as três cores que traduzem tradição. Como diria o Abelão, esse time tem alma e caráter!

A vitória sobre o Antofagosta não foi fácil, mas o Fluminense soube se impor desde o primeiro minuto do jogo. Com excelente toque de bola e muita movimentação, o gol não demorou a sair. Na primeira etapa, o maior problema da equipe foi o lado direito. Os chilenos deitaram e rolaram nas costas do Gilberto. E foi por ali que eles empataram o jogo.

Apesar da superioridade, o Fluminense correu alguns riscos desnecessários. A defesa teve dificuldade no jogo aéreo. Por muito pouco não sofremos um gol logo no início do segundo tempo numa bobeada do Bruno Silva. Em jogo de mata-mata, qualquer erro pode ser fatal. Ou seja, não dá para dar esses vacilos. E não há como omitir isso.

Com calma, o Fluminense encontrou o caminho da vitória, mas ela poderia ter vindo com maior facilidade já que o Luciano desperdiçou um pênalti. Ainda bem que ele logo se redimiu para garantir a vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana.

Bela classificação! A sétima seguida conquistada no exterior, ou seja, tem que ser muito exaltado. Isso impõe respeito e só ajuda a engrandecer ainda mais o Fluminense pela América do Sul. Vale destacar que dentro desta sequência há classificações conquistadas em cima da LDU e do Nacional, do Uruguai. E ainda teve uma na desumana altitude de pouco mais de 4 mil metros da cidade boliviana de Potosí.

O time ainda necessita de ajustes, mas verdade seja dita: a evolução nos toques, triangulações, movimentações e até infiltrações é muito nítida. A construção da jogada do segundo gol é a maior prova disso. Foi uma aula do trio Everaldo, Yony González e Luciano. O trabalho do Fernando Diniz está muito bonito. Merece total apoio da arquibancada e todo suporte de uma diretoria que segue devendo em todos os sentidos.    

Agora é focar na reta final do Campeonato Carioca e nos dois jogos contra a Luverdense, pela terceira fase da Copa do Brasil. Além da importância moral, os títulos da Taça Rio e do Estadual poderão render uma bolada de R$ 4,5 milhões em premiações. Já na Copa do Brasil, caso o Fluminense avance à quarta fase, embolsará um prêmio de R$ 1,9 milhão. Ou seja, as premiações somadas totalizam um valor de R$ 6,4 milhões. Portanto, o time tem que lutar até o fim por esses “potes de ouro”.

Rapidinhas:

Everaldo

Segundo o portal UOL Esportes, o Cruzeiro ofereceu um salário de R$ 120 mil mensais ao atacante Everaldo. Ainda de acordo com a reportagem, esse valor seria o dobro do que ele recebe atualmente no Fluminense. O clube tem até o dia 17 de maio para depositar R$ 2 milhões por 50% dos direitos econômicos do atleta. Não sei como, mas a diretoria precisa dar um jeito de mantê-lo. Não é craque, longe disso, mas é uma peça titular importantíssima.

Segunda fase

Na segunda fase da Copa Sul-Americana, o Fluminense poderá realizar três mudanças na lista de inscritos. Allan, Paulo Henrique Ganso e Pedro devem ser os escolhidos.

Jogos em maio

Ainda bem que os jogos da segunda fase serão disputados apenas no final de maio. Ou seja, o Digão tem chance de estar recuperado até lá.

Gilberto, Frazan e Bruno Silva

Atuação ruim do trio! Gilberto foi engolido na primeira etapa pelo lado esquerdo do Antofagasta. Já o Frazan prejudicou a qualidade da saída de bola. Por último, o Bruno Silva, que segue sem justificar sua vaga cativa no time.

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE