Vitória sobre o Athletico-PR, variações de esquema tático, clássico contra o Flamengo e muito mais: leia a entrevista coletiva de Marcão




Marcão (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.)



Marcão concedeu entrevista coletiva na Arena da Baixada

Após a vitória do Fluminense por 1 a 0 sobre o Athletico-PR, na tarde deste domingo (17), o técnico Marcão concedeu entrevista coletiva na Arena da Baixada. O treinador tricolor falou sobre o triunfo diante do time paranaense, variações de esquema tático, clássico contra o Flamengo e muito mais. Leia a íntegra abaixo:

Vitória sobre o Athletico-PR

“Vitória difícil. O Athletico tem uma maneira de jogar que é difícil de encaixar a marcação. Eles tinham seis na área, bola do lado. Se não estiver concentrado, bem posicionado, possivelmente, toma um gol. Tem que dar parabéns para equipe. Hoje mais uma vez foi o Fluminense que a gente gosta de ver, forte, seguro, e com três pontos importantes que a gente leva para o Rio.”

Entradas de Marlon, Jhon Arias e John Kennedy no time titular

“Um jogo que a gente precisava de homem com a característica do Arias. Um homem por dentro para a gente tentar furar a segunda linha do Athletico. Eles jogam com dois volantes por dentro. (Arias) É um jogador que pode fazer o giro, a infiltração, por isso a gente optou por ele. Gostamos dele. No segundo tempo, a gente achou que diminuiu a intensidade, a gente optou por mudar para preservar a parte física, mas vai nos ajudar muito.

O Marlon fez um jogo seguro, vinha de muito tempo inativo, mas treinando muito bem, e teve oportunidade de fazer um jogo seguro. Marcou bem, fechou a linha. Ofensivamente, fez investidas por dentro que é interessante para a gente.

O John a gente imaginou que por não ter o nosso 9 característico, ele tem facilidade de vir por dentro, fazer o pivô, jogador leve que contribuiu. Três jogadores que entraram e corresponderam, ajudaram a construir a vitória.”

Mudanças na equipe

“A gente fica feliz quando nosso torcedor joga junto. O Arias já vinha jogando há muito tempo. Entrou nas duas partidas anteriores. produziu bem. A gente fez a mudança no momento que precisava. A gente precisava de um jogador com aquela característica. Tanto ele quanto o Cazares produziram bem contra o Corinthians. O John da mesma forma. O Raul (Bobadilla) teve que voltar à Argentina. A gente aproveitou e mudou um pouco a característica. Esse jogador foi o Kennedy, que é mais leve, a gente teve segurança de colocar, porque ele já vinha jogando no sub-20, já vinha respondendo. Sobre o Marlon, o Danilo (Barcelos) veio de uma sequência de jogos também, em algum momento (o Marlon) ia ter que jogar. A referência é treino, jogo. O que estiver produzindo, pedindo passagem, a gente tem que ter sensibilidade para ver o melhor momento de inserir esses atletas.”

Variações de esquema tático

“Depende do jogo, depende de onde a gente quer buscar superioridade. Em um momento, a gente pensou em igualar três zagueiros para tirar jogada de lado do Athletico. Mas, naquele momento, a gente optou por deixar o John por trás, ele tem essa facilidade de fazer o segundo homem pela frente. Como a gente fez na temporada passada, a gente não fica amarrado no sistema, a gente vai analisando jogo a jogo. Se tiver um jogo que equipe precisar jogar com duas linhas de quatro e empurrar mais um atacante lá para frente, a gente vai fazer também.”

Clássico contra o Flamengo

“A gente quer muito nosso torcedor no estádio, para nos apoiar e empurrar esses guerreiros. Num clássico como esse olhar para cima e ver o estádio cheio é motivo de satisfação. É um jogo difícil independente de qual peça o Renato vai ter à disposição. A gente só pode falar que, da nossa parte, a gente vai fazer de tudo para fazer um grande jogo, e somar três pontos, seria de uma importância muito grande.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE