Volta do público? Quero a volta de um Fluminense vencedor!




Foto; Vinicius Toledo / Explosão Tricolor



Salve, aristocrática torcida tricolor! Fim de semana sem jogo do Fluminense e o assunto é um só: a volta do público aos estádios de futebol. Já deixo clara a minha posição, sou um legalista. Ou seja, aquilo que for acordado entre as partes envolvidas, deve ser cumprido. Entretanto, penso que o mais justo seria a manutenção dos jogos sem torcida, tanto por conta das dificuldades do Brasil no enfrentamento à pandemia, quanto pelo custo dos procedimentos e protocolos. Dito isso, vamos ao que interessa: a sequência da temporada e o próximo ano do Flu. 

Na minha visão, mais importante do que discutir a volta do público, no caso do Fluminense, o fundamental é discutir a volta de uma postura vencedora, de um planejamento de curto prazo para que possamos voltar a vencer campeonatos. “Mas Vitor, temos limitações financeiras!” Sim, mas temos também a melhor categoria de base do país, e nosso projeto deve ser fundamentado nela, conforme deixei claro na minha última coluna.

O planejamento de longo prazo, como o defendido por Mário Bittencourt, é fundamental (9 anos?!), mas um clube como o Fluminense se alimenta de títulos, e para isso, precisamos de criatividade, ousadia e planejamento, adjetivos que, sinceramente, não vejo na gestão atual. O caminho natural, portanto, deveria ser o de valorizar nossa base vencedora, aliada à uma comissão técnica independente e investimentos canalizados em poucos reforços que possam fazer a diferença. Dinheiro há, o que falta é se desvencilhar das estruturas corroídas da política do clube, se libertar da dependência dos empresários e ousar nos investimentos, só assim poderemos ter um Fluminense vencedor, uma torcida mais mobilizada e um crescimento sustentado.

Óbvio ululante…

– Apesar da razão pedir cautela para volta ao Maraca, a saudade de ver o Fluminense no estádio é gigante…

– Uma barca zarpando em dezembro repleta de jogadores que nem deveriam ter vindo, já seria um acerto da diretoria. 

– Para a próxima temporada, precisamos de equilíbrio e juventude, para isso, prioridade total para a lateral esquerda e meia de criação. 

– Chega de veteranos.

Vitor Costa



PUBLICIDADE