Atuação de Luiz Henrique, falta de velocidade do Fluminense, utilização de jogadores da base e muito mais: leia a entrevista coletiva de Odair Hellmann




Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.



Treinador tricolor concedeu entrevista coletiva no Maracanã

Após a vitória do Fluminense por 1 a 0 sobre o Atlético-GO, na noite desta quarta-feira (16), o técnico Odair Hellmann concedeu entrevista coletiva no Maracanã. O treinador falou sobre o triunfo diante do time goiano, atuação de Luiz Henrique, lentidão da equipe tricolor, utilização de jogadores da base, preparação para o jogo contra o Sport e muito mais. Leia a íntegra abaixo:

Triunfo sobre o Atlético-GO

“Felizmente, conseguimos a vitória. E conseguimos porque insistimos na nossa construção, trocamos algumas peças para mudar as características do jogo, para que criássemos o volume, as oportunidades – que foram poucas para os dois lados -, mas que fomos criando até chegarmos ao nosso gol. Foi merecida a vitória, uma vitória por apenas um gol, que mostra a dificuldade que foi o jogo, e que mostra as dificuldades que teremos lá.”

Vitória dedicada ao amigo Eduardo Silva, o Dudu, preparador físico do Internacional, que morreu nesta quarta-feira após sofrer um AVC

“Gostaria de oferecer meus pêsames à família do Dudu, preparador físico com quem tive a oportunidade e a honra de ter trabalhado no Internacional, eu como jogador, ele no início de carreira. Perdemos ele hoje, infelizmente. Ele estava tentando, lutando. Nós, como amigos, vínhamos mandando orações para que acontecesse o melhor. Recebi a notícia quando terminou o jogo. Eu estou triste. É um membro do futebol. Gostaria de fazer essa homenagem, dedicar a vitória ao Dudu. Força e luz à família para seguir em frente. Sentimentos ao Mano e ao Sidney, dois companheiros de trabalho de muito tempo com ele, que certamente estão bastantes tristes hoje. Essa vitória é em homenagem a tudo que ele fez no futebol.”

Elogios ao adversário

“Quero fazer um elogio ao Atlético-GO e ao trabalho do Vagner Mancini. A partir do jogo que eles vieram aqui e conseguiram um empate, quando estávamos bem até a expulsão, eles conquistaram uma confiança que após esse jogo eles venceram o Vasco e o Bahia, empataram com o Grêmio com mais chances de vencer, o que mostra que é uma boa equipe, extremamente competitiva e que ganhou confiança. Foi um enfrentamento muito difícil. Parabéns ao Vagner e à equipe adversária pelo trabalho.”

Falta de velocidade do Fluminense

“Vão acontecer oscilações em determinados momentos – e espero que esses movimentos demorem a acontecer conosco. Estão acontecendo com todos os times. Nós temos oscilado menos até. Tivemos um pouco lentos nas ações no 1º tempo e isso está diretamente ligado à falta de oportunidade de poder recuperar os jogadores, treiná-los, confrontá-los com erros e acertos que cometemos nas partidas, para que eles progridam… Os jogadores estão se entregando de todas as formas, de todas as forças, mas não tem jeito. Vai chegar uma hora que alguns jogadores vão sentir um pouco a sequência, a equipe, coletivamente, acaba sentindo também. No 2º tempo, melhoramos com a bola, de trocar o passe com um pouco mais de velocidade para desequilibrar o adversário.”

Atuação de Luiz Henrique

“Vínhamos colocando ele mais pelo lado de campo. Eu não rotulo. Ele pode ser um atacante de lado de campo, pode ser um atacante por dentro. Hoje oportunizamos ele mais como centroavante, com característica bem específica de movimentação, de profundidade, mas agregando a imposição que ele tem de pivô, ao cabeceio, ele tem boa finalização. Ele tem valências físicas muito próximas ao Evanilson. É um jogador muito potente, de boa velocidade, de boa imposição jogando de costas também, que a função exige para dar sequência ao jogo. Ele me disse que já jogou nessa função ali também. É um atacante nato, que pode jogar solto, aberto, tem mostrado essa capacidade e esperamos que continue assim. Acho que fez uma ótima partida em todos os sentidos. Não sentiu desconforto em relação aos movimentos, à função. Foi muito bem. Ganhamos mais uma opção nessa função, que é tão importante para o time. Temos o Fred, temos o Marcos Paulo que faz por dentro, temos o Felipe que estamos oportunizando novamente. Acho que ganhamos mais uma opção com o Luiz, que mostrou capacidade.”

Utilização de jogadores da base

“Muita gente fala que não oportunizamos os garotos da base. Terminamos o jogo com três na frente, o Calegari e o André, cinco no total. Evanilson estava aqui, foi vendido, gerou uma parte financeira para o clube, agora abre oportunidades para outros. Tem outros jogadores nesse trabalho de integração com o Sub-23 e a base. Fluminense sempre foi gerador de jogadores. Estamos oportunizando e continuaremos. Não tenho problema com idade. Oportunizo aquele jogador que está evoluindo no dia a dia, nos jogos, que está mostrando capacidade. Eles estão de parabéns e todo o trabalho integrado também. Isso mostra que o trabalho da base é bom e estamos conseguindo dar oportunidades.”

Preparação para jogo contra o Sport

“O Fluminense precisa manter padrão de atuação técnica, construção de jogo, mesmo atuando fora de casa, estar organizado dentro do jogo. E buscar recuperar o máximo possível os jogadores. Conversar com a parte científica do clube para possibilidade de oportunizar outros jogadores, em razão do desgaste pela sequência, para montarmos a equipe mais forte em todos os sentidos contra o Sport, que teve uma semana para trabalhar e recuperar os jogadores, vem de uma retomada com o Jair. Partida extremamente difícil, mas que queremos um bom resultado. Mas para isso, precisamos descansar, treinar posicionamento e tomar as melhores decisões para levar o time mais forte, física e tecnicamente.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com 

PUBLICIDADE