Contra a infantilização da análise!




O Óbvio Ululante…..

Contra a infantilização da análise!

Salve, aristocrática torcida tricolor! Estou de volta para trocarmos mais uma ideia sobre o momento do Flu, que se prepara para sua estreia na Libertadores na próxima quinta, dia 22. O papo de hoje é quase um desabafo sobre as análises que leio sobre o Flu, tanto da “imprensa especializada”, quanto dos torcedores que possuem influência nas redes sociais.

De início, ressalto que possuo profundo respeito por todos que assim como eu, de alguma forma têm a oportunidade de externar suas opiniões e críticas da maneira mais democrática possível. Entretanto, tenho percebido que a análise do time do Roger tem ocorrido de maneira, por vezes, infantil e rasteira. Não faço aqui uma defesa do trabalho do treinador, tenho diversas críticas ao seu trabalho, mas precisamos amadurecer a análise se quisermos elaborar críticas construtivas, visando uma relevância de fato, daquilo que produzimos, seja na internet, TV ou jornal.

Em busca do que considero um amadurecimento da análise do momento atual que vive o Fluminense, vou mandar verdades absolutas do Flu da dupla Roger-Mário, e que por mais que discordemos, teremos que lidar…

Não temos laterais esquerdos confiáveis, mas ele não irá “desequilibrar o vestiário” barrando dois “especialistas”, pelo menos até um desastre…  

Jefté, André, e Mascarenhas, se não foram testados até agora, estão fora dos planos imediatos, pedir por eles é justo, mas é jogar conversa fora… infelizmente.

A titularidade incontestável do Nenê, que eu discordo totalmente, também parece uma verdade absoluta para o Roger. De maneira madura, lutemos para ele ser escalado mais centralizado, próximo à área, e não na ponta….

A permanência de Hudson, Yuri, Lucca e Caio Paulista. Não têm mercado, mas possuem contratos em vigor, e pelo visto, contam com o apoio da comissão técnica e diretoria. Minha opinião sobre todos é a mesma: tecnicamente, não podem ajudar e a torcida já perdeu a paciência. Análise madura: compõem o elenco e fazem parte do tal “equilíbrio” do vestiário. Mas espero que não entrem NUNCA.

Saudações tricolores, Vitor Costa.

PUBLICIDADE