E o Fluminense desaprendeu o caminho do gol…




Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

Amigos Tricolores, futebol é bola na rede! O que está havendo com nosso Fluminense, que desaprendeu completamente o caminho das redes?
Como pode um time de futebol profissional ficar 6 jogos sem marcar sequer um golzinho?
São 582 minutos sem marcar! Ou 9 horas e 42 minutos!
Uma eternidade!
O último foi contra o Nacional, no alçapão deles, Luciano aos 3 minutos do segundo tempo, motivo pelo qual somei 42 minutos aos 540 correspondentes a seis partidas. Alguns puristas somariam os acréscimos, mas considero que a natureza destes é repor, pelo menos teoricamente, o tempo que não houve jogo (seria muito mais).
Vamos lembrar os seis jogos:
Fluminense 0 x 1 Vasco
Atlético/PR 2 x 0 Fluminense
Fluminense 0 x 0 Sport
Palmeiras 3 x 0 Fluminense
Fluminense 0 x 0 Ceará
Bahia 2 x 0 Fluminense
Desde o dia 31 de outubro não fazemos um golzinho…
E tomamos 8 neste período.
Os mais otimistas dirão: na última partida em que tínhamos que fazer pelo menos um para eliminar o adversário uruguaio, o time foi lá e não decepcionou.
Os pessimistas estão se fartando. Além da análise de que o time é efetivamente muito fraco, e pouco produtivo ofensivamente, arriscam teorias da conspiração e tudo, afirmando que os jogadores não vão se esforçar muito enquanto não pagarem o último centavo de meses de dívidas.
Estou no meio termo. Não acredito em corpo mole, em entregar. Mas eu queria saber qual o trabalhador que pode render tudo, se motivar intensamente, se o empregador sinaliza há meses um total desrespeito a seu trabalho?
Você, Amigo Tricolor… estaria motivado?
E o pior, ainda tendo que ouvir de torcedores que você é sem-vergonha?…
Fica difícil, não é mesmo? Está TUDO ERRADO no Fluminense!
Sem-vergonha é quem não paga, é quem fez promessas e enganou todo mundo. É quem administra mal e porcamente o clube…
Diretoria omissa, que simplesmente não encontra uma solução para tamanho descaso. Elenco mal planejado. Time fraco! Contusões sem peças de reposição de qualidade.
Um time que simplesmente não tem jogadores de meio-campo, na criação. Sornoza sobrecarregado e ainda tendo que ouvir que se esconde do jogo, quando qualquer adversário vai entrar em campo com dois marcando o cara e mais um na sobra.
Volantes que só desarmam, quando desarmam… Não criam, não arriscam bons chutes de fora, não apoiam com qualidade.
Se ainda tínhamos algum potencial com dois bons laterais, perdemos o Gilberto faz tempo, por contusão, e o Ayrton Lucas vem sendo bem marcado também, e já não apresenta a mesma força física.
Com a saída de Pedro o Flu teve que reinventar dois atacantes, e até andou dando certo a dupla Everaldo e Luciano. Mas já não vem ocorrendo.
Marcos Junior não tem dado conta, e a insistência com Junior Dutra é simplesmente até suspeita…
Matheus Alessandro caiu um pouco de produção e conclui mal.
Kayke? Prefiro nem comentar…
A contusão de Pablo Dyego também nos enfraqueceu…
Com uma zaga de altos e baixos, uma lástima, por exemplo, no jogo contra o Bahia, e está aí um time muito improdutivo, e ainda desmotivado…
E um treineiro que não consegue soluções criativas, que se não forem com peças, que fosse com jogadas, estratégias, mudanças para surpreender adversário, aposentadoria do Junior Dutra…
Aí chegam de novo os otimistas e dizem: “Isso aqui é Fluminense! Na hora que precisar efetivamente de pelo menos dois gols, na quarta-feira que vem, aí os gols vão aparecer… “
Bem, futebol é futebol, e o Fluminense, sabemos, adora emoção! Adora testar nossas coronárias! Estarei no Maraca dia 28, porque quero acreditar, mesmo, que neste dia o time vai ter que jogar diferente… Ousar mais… E que posso sair do estádio com mais uma daquelas façanhas que o Fluminense nos proporcionou ao longo de sua História.
EMBAIXADINHAS:
– As meninas do vôlei ganharam uma e perderam outra, esta semana. Vitória em casa por 3 x 1 (25 x 11, 13 x 25, 25 x 20, 25 x 19) sobre o Balneário Camboriú na segunda-feira e derrota por 3 x 2 para o Barueri, ontem, também em casa, no Hebraica, depois de estar ganhando por 2 x 0 (25 x 20, 25 x 22, 17 x 25, 18 x 25 e 9 x 15).
– Na decisão do Torneio Otávio Pinto Guimarães, na Gávea, a molecada do Sub-20 empatou ontem sem gols e perdeu o título, pois fora derrotado nas Laranjeiras por 1 x 0 em jogo em que perdeu pênalti. Ontem o Fluminense foi garfado na Gávea.  Posso afirmar que um gol anulado do Flu por suposto impedimento foi um absurdo. Vi o jogo no canal youtube de transmissão da FFERJ, e a própria equipe de transmissão enxergou o erro.
– Mas o Torneio OPG é de menor importância no calendário, tanto que o Fluminense normalmente o usa para testar garotos que tiveram poucas oportunidades como titulares ao longo do ano.
– Bonito mesmo faz o nosso time bola de segurança, o Sub-17, em bela campanha na Copa do Brasil da categoria. Após empatar no primeiro jogo, fora, com o Palmeiras, por 1 x 1, empatou novamente, nas Laranjeiras, por 2 x 2, mas massacrou nos pênaltis por 4 x 1, com duas grandes defesas do goleiro Marcelo. No tempo normal o Flu saiu perdendo, virou para 2 x 1 com gols de Martinelli e uma pintura de João Pedro. O time teve chances para matar o jogo e acabou tomando o empate em pênalti, no mínimo, estranho.
– A final do Sub-17 será contra o time da Gávea, em dois jogos, com o primeiro mando, definido por sorteio, sendo do Fluminense. Datas e locais ainda não definidos. Não custa lembrar que o nosso time ganhou deles recentemente nas semifinais do Estadual Sub-17, com duas vitórias por 2 x 1 (Laranjeiras e Gávea). Na final o Flu papou o título em cima do Vasco.
– No mais, é torcer! Por algo positivo amanhã, contra o Inter, por uma classificação heroica na quarta-feira, pela molecada do Sub-17 e pelas meninas do vôlei! Ah, querem saber? Vestiu a camisa do Fluminense temos que torcer sempre!
Porque O IMPORTANTE É O SEGUINTE: SÓ DÁ NENSE!!!
PAULONENSE  /  Explosão Tricolor

PUBLICIDADE