Choque de realidade no Morumbi




Ganso (FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)



A evolução apresentada nos jogos anteriores foi toda por água abaixo no Morumbi. Diria até que foi um choque de realidade.

No primeiro tempo, o Fluminense apenas se defendeu bem.

Michel Araújo deixou a desejar. A impressão que passou é a de que está sem força. Não à toa, o uruguaio praticamente não pisou na paulista. Parece ter acusado o desgaste da sequência.

Outra esperança do time, Nenê também não contribuiu.

Por sorte, Wellington Silva achou um gol. Inclusive, vale destacar a atuação do atacante. Além do gol, ajudou na recomposição, fez corte providencial, deixou o Nenê na cara do gol e ainda sofreu algumas faltas. Boa atuação.

Porém, o São Paulo virou logo no início do segundo tempo. No primeiro gol, nenhuma novidade. Mole do ‘piscininha amor’, ops, Egídio.

Já no segundo, Dodi afrouxou na marcação e o Nino foi facilmente driblado. Por falar no zagueiro, já passou da hora de colocá-lo no banco de reservas. E quem também tem que esquentar o banco é o Marcos Paulo. Infelizmente, ele está péssimo.

No restante da segunda etapa, o São Paulo passeou. Muito por conta também do Odair Hellmann. As substituições não surtiram efeito. Na verdade, o time ficou bem bagunçado. Mas o cúmulo da bizarrice foi a entrada do Felippe Cardoso. Pois é, até ele entrou. Mas o garoto Miguel, não. Já desisti de entender. Talvez seja pelo fato de jamais ter dado dois treinos na vida…

Para fechar o caixão, o terceiro gol foi para deixar o torcedor com nariz de palhaço. O Vitor Bueno chega a parar com a bola dominada, pede marcação de falta, o juiz ignora, o jogador volta a avançar sem ser incomodado, dá um drible bobo no Nino, chuta e faz o gol.

Atuação deprimente de um time que vinha apresentando até alguns sinais de evolução. No entanto, serve para dar um necessário choque de realidade. O elenco é limitado e o técnico possui péssima leitura de jogo. Vamos ver como será o Fla-Flu de quarta…

Curtinhas

– Digão no lugar do Nino para ontem. Se dará certo ou não, aí é outra história. O que não dá para manter o Nino.

– Se tiver condições, já pode lançar o Danilo Barcelos no lugar do Egídio. E seja o que Deus quiser…

– No Fla-Flu, pode deixar o Nenê no banco. E junto com o Marcos Paulo.

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo

PUBLICIDADE